segunda-feira, 15 de setembro de 2008

Nossa sina é se ensinar.

Da Série Tema Livre

Coleciono clichês. Desses sobre as coisas da vida e como ela funciona.
Tenho uma porção deles, guardados, que me beliscam diariamente.
Podem ser frases feitas, coisas que todo mundo diz, ou conhecimento adquirido em experiências anteriores.

Um dos meus preferidos é a idéia de que cada pessoa tem uma missão e que seu caminho se cruza com o de outra para que, juntas, possam aprender algo e se ensinar.

Talvez seja por este motivo que algumas pessoas ficam bem perto da gente por certo tempo e depois tomam outro rumo. O contato se perde, o vínculo, a necessidade daquela presença tão perto.
As lições de um para o outro acabaram, como uma série de primário cheia de cartilhas e avaliações.

Encontrei ontem, no ônibus, uma dessas pessoas. Éramos garotos quando cantávamos juntos no coral do colégio. Hoje ele é médico. Quero dizer, penso que já seja. Não posso afirmar com certeza porque perdemos o contato, o vínculo.
E o mais estranho é que não tentei, não quis me aproximar, começar uma conversa, saber como ele estava. Preferi ficar no meu canto, aceitando, conformado, a situação, mesmo sabendo de tantas coisas que poderiam ser faladas, de como aquela viagem poderia ser mais prazerosa.

O que me incomoda em pensar que as pessoas possam acontecer desta forma, em acordar com tais beliscões, é lembrar das pessoas que quero comigo sempre, pelo resto da minha vida.
Sei que o mundo dá voltas e que a cada dia as pessoas acordam outras, às vezes mais maduras, às vezes mais flexíveis, às vezes com outras convicções. E que sempre chega a hora de partir, tomar outro rumo, deixar outro alguém entrar e viver junto.

É por isso que acredito que algumas pessoas são especiais, essenciais, vitais.
Raízes fundas, firmes, que nos mantém e de onde podemos retirar coisas boas, que nos fortalecem. Raízes que se comunicam, que trocam.

Talvez algumas lições sejam mais curtas, mais simples e outras durem pela vida toda com a complexidade de um exercício de física.
Quem sabe assim eu consiga gostar um pouquinho que seja de tal disciplina!Que em todos os meus dias eu tenha um caderno na mão, lápis, borracha (às vezes a gente erra... rs) e um bom copo de Guaraná com Canudinho!

14 comentários:

  1. Bom dia, pessoas!
    Que saudade!

    Crise criativa na escolha da imagem...hehe
    O título é de uma canção do Teatro Mágico chamada Sina Nossa. Coisa mais linda!
    Vou tentar encontrá-la!

    ResponderExcluir
  2. Bom dia irmãozinho. Você ficou com labirintite textual? foi? hehehe
    ..
    Adorei o post.

    Gosto de aproximações.
    Não gosto da afastamento. Isso de perder o vínculo, muitas vezes dói.
    Às vezes estamos rodeados de pessoas e de repente, como num passe de mágica, quase todos somem. Realmente isso me incomoda.
    .
    Mas a vida é pra ser vivida, sozinho, acompanhado ou mal acompanhado, temos que saber aproveitar.
    .
    Beijos beijos beijos. roubados ou não heheheh

    AMO TUDO ISSO

    ResponderExcluir
  3. Ainda não tirei foto ..
    mas agora estou parecida com meu desenhinho do blog.
    hehehe

    beijocas

    ResponderExcluir
  4. Não disse que as pessoas acordam outras?

    A Marina pelo jeito está mais auto confiante, mais moderna, mais peruuuaa!
    haha

    ResponderExcluir
  5. Oi amoresssssssssssssss!
    Tudo bem?
    Eu li o texto mais cedinho, só que não pude comentar.
    O motivo? prefiro não comentar... hahahaha
    É que eu tava trabalhando e minha patroa é má.
    Adorei o seu texto, me fez recordar aqueles mais antigos, mas sem aquela nostalgia, pra não dizer "tristezinha no coraçãozinho"... Algo mais pra cima,saca como???
    .
    Mas te dizer: penso que você deveria ter chamado seu amigo. Você mudou um pouco, desde aquele tempo? Ele também deve ter mudado e, quem sabe, em meio a essas mudanças vocês poderiam redescobrir uma nova amizade.
    Agora já passou, o que passou, mas não deixe que isso ocorra de novo, quem sabe você terá outras boas surpresas e se não tiver, valerá apenas ter tentado.
    .
    Adoro dar conselhos que serviriam para mim, pois talvez em me comportasse "quinem", mesmo não sendo o ideal.

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. Não gosto de ser fase na vida de ninguém, gosto de ser eterna.
    Ai, eu disse besteira, cruz credo, imagine eterna pra quem a gente não quer mais.
    Vale também esquecer quem nos esquece, né não?
    Ai, hoje eu tô "CAAAANFUSA"!!

    ResponderExcluir
  8. Minha filha ficou loira e isso se refletiu no meu intelecto. Maaaa, tira foto pra mostrar pra gente, vai?
    Moçada, a Paulinha está viajando, viu? Vai chegar de noite em casa, por isso estará ausente no Guaraná.
    .
    Haline, eu li seus comentários lá no seu dia.
    Sempre um prazer tê-la aqui postando pra gente e com a gente, sua mais querida guaranete ex-quase-futuramente-novamente-oficial.

    ResponderExcluir
  9. A sratem razão, mainha.
    Eu deveria mesmo ter ido falar com ele.

    E a sra é eterna sim!
    Eu adorei isso de ser eterno.

    Beijos!
    Saudades eternas, Eterno.

    hahahaha

    ResponderExcluir
  10. "...Um dos meus preferidos é a idéia de que cada pessoa tem uma missão e que seu caminho se cruza com o de outra para que, juntas, possam aprender algo e se ensinar..."

    Para mim isto é muito real e lindo tbem, acredito muito nesta nossa "missão" por aqui e, hoje, acredito também que as pessoas só conseguem ser felizes quando "descobrem" o caminho que vieram seguir...


    Nossa Rafa, adorei este teu post, me identifiquei demais com ele e apesar de concordar com Rosana, sobre o caso do amigo, tenho certeza de que também não iria lá falar com ele, passaria, diria um oi rápido, sentaria no banco da bem lá na frente e viria lendo algum livro (SEMPRE ando de ônibus lendo). Maaaas, como diria Otávio Leal: "Antes ser íntegro à ser bom". Se na hora não te deu vontade falar com ele, vc foi sincero com vc e isso que importa e se te deu um "arzinho" de que deveria ter agido diferente, na próxima vez vc senta bem do lado da pessoa e com um sorrisão você diz pra ele(a): Eae, como tá a vida? Passa a mão no cabelo e segue viagem... rsrs

    Bjãoooo pessoas!

    ResponderExcluir
  11. Adorei o "passa a mão no cabelo e segue a viagem", Haline!

    Pensei muito em ti enquanto escrevia. Porque sabia que você também acredita nisso e porque tava com um incenso bom demais, num suporte novo de pedra-sabão, comprado numa loja que eu queria morar de tão linda!

    Bom te ver por aqui!

    ResponderExcluir
  12. Adorei também o "passa a mão no cabelo e segue a viagem", mas continuo pensando que o Rafa queria falar com o moço, caso contrário, ele nem pensaria nisso, depois.
    Eu gostaria muito desse mundo lindo idealizado por Haline em que só devemos fazer o que queremos, mas isso é uma abstração, não existe!!! Por mais que queiramos.
    Falô a véia!!! hahaha

    ResponderExcluir
  13. Quem canta a música?
    Achei tão lindo, assim sem ser com a Zélia, que adoro!

    ResponderExcluir
  14. Mainha!

    Quem tá cantando é o Paulinho Moska. Nem conheço com a Zélia, acredita?
    Aprendi com a Laurinha! hehe

    E gostei demais da sua percepção sobre o texto sem "tristezinha no coração".
    Inclusive, meu post seria sobre isso!

    ResponderExcluir

Sinta-se em casa. Sente-se conosco,tome um guaraná e comente o que você quiser e depois, aguente!!! hihihi