segunda-feira, 15 de março de 2010

Daqui de dentro

Tema: descrição de um ambiente
Por LauraReis





Aqui onde eu moro é um pouco abafado e escuro, mas a gente acaba acostumando, né?
A moça que me colocou aqui dentro tinha um sorriso tão bonito no rosto na hora, parecia tão feliz, que eu nem me senti tão ruim quando ela fechou a porta.
Ou seria a janela? Não sei distinguir ainda as coisas da minha nova casa.
Sei que aqui tem muitos de nós, tão diferentes, morando juntos. E nos damos bem, porque parece que com todo mundo é assim: a última lembrança do lado de fora é o tal do sorriso da moça.
Às vezes também parece apertado, um fica em cima do outro por aqui, mas a gente se ajeita e convive bem.
Tem dias, assim, mais ou menos uma vez por mês, que a moça do sorriso bonito abre nossa casa e a gente pode tomar um ar. Mas ela parece sempre muito apressada, porque, apesar de todo aquele sorriso, é sempre tão rápido o tempo em que ela nos deixa dar um passeio.
E parece até não ser a mesma moça do sorriso bonito, considerando que ela coloca nossa casa de cabeça para baixo, nos espalha e depois junta tudo de novo, tudo muito rápido. Nesses momentos sempre sentimos a falta de um colega, mas aí passa um pouco, um dia ou dois e a moça sempre traz ele de volta pra casa. E quem sai daqui nunca conta o que fez lá fora, acho que ela pede segredo, não sei.
Tem dias que sinto vontade que ela me pegue, porque parece que é coisa importante, sabe? Mas às vezes eu tenho certo receio de que a felicidade que meus colegas ficam quando voltam pra casa seja só uma farsa.
Porque assim, antes eu não acreditava em farsas não, mas tem uns colegas aqui que possuem uns discursos tão pessimistas, tão sofridos, são tão cheios de histórias frustradas que, sabe... isso acaba influenciando, de uma forma ou de outra, nosso pensamento. Sei que me sinto feliz e estou quase sempre alegre, acho que em mim tem coisas felizes enraizadas, escritas pelo tempo, talvez. Voltando a falar da minha casa: aqui, apesar de sempre ficar fechada, como a gente acostuma e também porque às vezes a moça abre a porta (ou a janela?), dá pra saber que tem umas paredes que são todas brancas e outras que são coloridas. Como quando abre a gente fica bastante curioso, querendo ver lá fora e ver a gente e ver a casinha, eu não consegui ainda definir quais são as cores das paredes coloridas, mas sei que tem vermelho, e eu gosto tanto de vermelho. Na verdade, acho que gosto mesmo de morar aqui. Minha antiga moradia me obrigava a ficar tão paralisado, parecia tão etiqueta, era chato (literalmente?). E aqui, sabe, são tantos sentimentos juntos, num lugar tão pequeno, parece tão acolhedor. Me sinto bem. Sou feliz aqui. Obrigada, moça do sorriso.




Esse depoimento foi dado por um dos milhares de bilhetinhos e cartinhas que Laura guarda dentro de sua caixinha xadrez pequenininha.

18 comentários:

  1. O que eu também não entendo
    Fernanda Mello e Rogério Flausino

    Essa não é mais uma carta de amor
    São pensamentos soltos
    Traduzidos em palavras
    Prá que você possa entender
    O que eu também não entendo...

    Amar não é ter que ter
    Sempre certeza
    É aceitar que ninguém
    É perfeito prá ninguém
    É poder ser você mesmo
    E não precisar fingir
    É tentar esquecer
    E não conseguir fugir, fugir...

    Já pensei em te largar
    Já olhei tantas vezes pro lado
    Mas quando penso em alguém
    É por você que fecho os olhos
    Sei que nunca fui perfeito
    Mas com você eu posso ser
    Até eu mesmo
    Que você vai entender...

    Posso brincar de descobrir
    Desenho em nuvens
    Posso contar meus pesadelos
    E até minhas coisas fúteis
    Posso tirar a tua roupa
    Posso fazer o que eu quiser
    Posso perder o juízo
    Mas com você
    Eu tô tranquilo, tranquilo...

    Agora o que vamos fazer
    Eu também não sei
    Afinal, será que amar
    É mesmo tudo?
    Se isso não é amor
    O que mais pode ser?
    Tô aprendendo também...

    ResponderExcluir
  2. gente.. o lance da música deu tilti ali oh.. mas vou deixar esse peteco pra vocÊs.
    um beijo.

    ResponderExcluir
  3. Eu quero ser uma carta dentro dessa caixinha...

    ResponderExcluir
  4. Caracassss, que luta pra arrumar o babadinho da música... hahahaha
    Tive que ir no Outras Trilhas e pegar tudo de lá.

    Ahhh, a música toca, mas demora. Este site não é muito bom, né? mas fazer o quê? Não tem no outro.

    ResponderExcluir
  5. Já falei que a foto ficou cuti cuti?


    Volto depois, vim mais cedo pra trabalharrrrrrr.

    ResponderExcluir
  6. Tem um bilhetinho meu aí entro será?

    ResponderExcluir
  7. A moça, de fato, tem um sorriso muito bonito!

    ResponderExcluir
  8. Nossa que fofo.
    Gosto da casinha.
    Gosto do vermelho.
    Gosto do sorriso da moça.
    Gosto de você

    ResponderExcluir
  9. NOSSA... adoro quando tem muitos comentsssssssss

    ResponderExcluir
  10. odeio quando eu escrevo uma coisa assim que adoro e ninguem vem aqui me ver.]


    ninguem mais me ama?

    ResponderExcluir
  11. oi
    estou fazendo o papel de uma pessoa.
    adivinhe
    ashiusdhiusdha

    risisisis

    ResponderExcluir
  12. Eu tava trabalhando pititinha, mas eu venho.
    Sabe que eu te amo, né?

    ResponderExcluir
  13. Não gosto de fofoca mas eu vou contar uma coisa: o Rafa não vem mais que é pra não assumir que você é a melhor, sabe como?

    ResponderExcluir
  14. Filhoteeeee, vem logo. Prometo que nunca mais faço fofoca com seu nome, tá bãooooooo seu Jão??

    ResponderExcluir

Sinta-se em casa. Sente-se conosco,tome um guaraná e comente o que você quiser e depois, aguente!!! hihihi