sexta-feira, 10 de junho de 2011

Reflitam

Tema: Meu defeito mais cômico
Por Taffa


As forças cósmicas conspiram. Contra mim, mas conspiram. Noutro dia fiquei preso num elevador e achei que morreria asfixiado. Foi um desespero cinematográfico tão ímpar que me daria, no mínimo, Oscar de melhor cena de pânico em lugares fechados. Gozado que logo de cara já fiquei sem ar e tive de reaprender a inspirar. Respiração cachorrinho, isso mesmo. Um, dois, três, inala, expira. Bom que já aprendi a técnica para quando ficar sem ar por conta de um grande amor e vou utilizá-la se estiver vivo até lá, porque, acredite, não ta fácil amar nesta vida.

Enfim, as luzes de emergência estavam acesas. Vermelhas, gente. Cabaré, oi? Por que os técnicos tendem a utilizar o vermelho para coisas emergenciais? Não podia ser algo mais clean, como o branco? Apenas para, adivinhem, colaborar e fazer a iluminação ser útil na sua serventia primária que é – ATENÇÃO – nos ajudar a enxergar, claro.

De volta ao clímax. O elevador. Sim, aquele cubículo que nos filmes é sempre maior do que na realidade. Era de metal ou de algo de resistência similar. Mas, acredite, quando se está preso num você acha que vai morrer e só. Não liga pra materiais utilizados na fabricação, nem se os cabos são de uma fibra forte o suficiente para levantar dez ou vinte vezes o seu peso. Só quer sumir. Só quer ser um x-men e se teletransportar dali, atravessar as paredes ou, no meu caso, ser panaca mesmo e deitar no chão. Não me julguem, por favor.

Então comecei a inventar modos de passar o tempo enquanto aguardava a normalização da coisa. Cantei músicas. Minto. Gritei músicas. Conhecem É o Tchan? Sim, né? Eu também, infelizmente. Pois é, aproveitei o embalo apocalíptico da coisa e comecei a berrar letras que vinham na cabeça. Saiu de tudo, até o momento em que, enquanto gritava pra descer na boquinha da garrafa, imaginei o elevador despencando e achei melhor parar por ali.

Rezei também. Nessas horas, todo mundo reza. Incrível. Pedi pra Nossa Senhora das Edificações me iluminar e fazer com que tudo ficasse bem e prometi que, no futuro, compraria um apartamento num andar alto só pra glorificar a sua existência. Sou prático e tenho aquele sonho de morar num arranha-céu, então já estou íntimo da santa. Agora somos Best Friends Forever. Ela falou que só preciso repassar uma quantia do meu condomínio para um pedinte na rua. Adoro essas entidades modernas.

Enquanto estava jogado no chão, em prantos, também comecei a organizar um testamento...

...minha cama box king size fica para o fulano, que já dormiu tanto lá em casa e sempre falou que gostava dela; meu armário eu quero que seja doado a uma instituição de caridade, o tanquinho de lavar roupas também; meu fogão fica para a vizinha de frente, tadinha, que até hoje não conseguiu comprar um e é super fofinha comigo, além de me chamar pra assistir seriados na casa dela sempre que possível...

...até que surgiu uma luz no fim do túnel. Uma solução que modificaria tudo e me colocaria de volta no mundo dos homens. O interfone, Brasil. Aquele botãozinho que fica ao lado dos botões dos andares e que tem a função de chamar o porteiro. É claro que eu não havia percebido, me perdoem, estava muito ocupado morrendo. Ressuscitei e o pressionei. Funcionou. EMOÇÃO. O porteiro atendeu e eu clamei por socorro hospitalar, psicológico, psiquiátrico – com aquele lindo do Marcelo ex-bbb -, terapia ocupacional e fisioterapia, porque, claro, precisava readquirir minha coordenação motora.

O porteiro prestativo disse que o imprevisto havia acontecido porque o eletricista sem querer tocou na chave geral do bloco onde eu estava. A energia havia acabado por alguns segundos, mas já tinha retornado. Perguntei por que a luz de emergência ainda estava acesa e eu continuava preso entre os andares e ele comentou que era uma trava de segurança do elevador e que eu precisava apenas apertar o botão do andar de novo, assim como estava aparecendo no painel. “Painel?” Eu perguntei, no exato momento em que olhei para o visor onde os andares são mostrados e li um “Por favor, pressione qualquer tecla para sair do modo de segurança”.

Queria morrer. Lá estava eu, de volta ao nosso plano e cogitando subir de novo até o último andar e pular de cabeça. Não mereço passar por situações assim. Agradeci ao porteiro e apertei o botão do térreo. Tal foi a minha surpresa quando o elevador ligou, moveu-se por dois segundos e parou de novo, já no destino. Eu estava o tempo todo a um metro de onde queria chegar. A um passo da liberdade e eu ali, sofrendo. Imaginem a manchete: morre garoto dentro de um elevador e as causas ainda são misteriosas, ou pior, dez anos depois o espírito do menino ainda assombra o edifício. Não acredito que estou fadado a uma eternidade assim, melhor ficar vivo e por aqui mesmo.

Enfim, toda essa história foi apenas pra ilustrar que o meu defeito mais cômico é, sem sombra de dúvidas, o melodrama. Meu exagero na hora de contar o que acontece comigo. É mais forte do que eu e sempre acabo floreando a coisa porque gosto de transmitir as mesmas emoções que tive durante os fatos ocorridos. Muitas vezes também tenho reações dramáticas – até mesmo via MSN – porque, convenhamos, não tem acontecido nada de tão relevante na minha vida ultimamente e, na verdade, posso pular num rio hoje que só em Julho vão começar a sentir minha falta. Falo sério, Calcanhotto me entenderia. Enquanto isso, vou ali preparar algo pra comer, porque tá frio, não tenho um cobertor de orelha e se eu não for lá, não vai ficar pronto sozinho.

Um beijo;
Brant, o mártir e sofredor de bullying guaranístico.

45 comentários:

  1. Quero todo mundo aqui senão eu vou a pé até na casa de cada um obrigar a entrar no Guaraná pra ler meu post-bíblia.

    ResponderExcluir
  2. Eu já tava imaginando que seu defeito seria a mentira!

    rs

    ResponderExcluir
  3. "Não me julguem, por favor."
    #paulinhafeelings

    ResponderExcluir
  4. Brant: já pensou em ser roteirista ou ator??? Pq vc escreveu tão bem que consegui imaginar a cena e as caras sua. E olha q nem te conheço!!!

    ResponderExcluir
  5. Esse defeito também tenho, mas acho que não seja tão comico assim!

    ResponderExcluir
  6. Mas isso realmente te aconteceu??? Pq eu tive q segurar o riso e a cara de "não to acreditando no que estou lendo"!!!

    ResponderExcluir
  7. Brant te escrevi 3 comentários só para vc não ficar triste e não precisar andar 700 km até minha casa ok?

    ResponderExcluir
  8. Brant te escrevi 3 comentários só para vc não ficar triste e não precisar andar 700 km até minha casa ok?

    ResponderExcluir
  9. Concordo com a Karina em tudo. Você conseguiu passar seu desespero tão bem, que consegui imaginar sua cara qdo viu o botãozinho lá no painel esperando pacientemente pra ser apertado.

    ResponderExcluir
  10. Bom final de semana para todos vocês! Adoro vocês!! Beijos
    PS: Se conseguir matar o serviço volto mais tarde!

    ResponderExcluir
  11. Taffa, este foi um dos melhores textos do ano. Parabéns!

    ResponderExcluir
  12. Gente, eu passei por isso. JURO. 100% baseado em fatos reais.

    ResponderExcluir
  13. Karinaaaaaaaaaaaaaaaa não vou a pé até aí, pode ficar RELAX

    ResponderExcluir
  14. Helô, acredite. Eu fiz cara de FUÉN na hora que vi o quão embaraçosa era a minha situação.

    ResponderExcluir
  15. Do horror pro FUÉN em dois segundos: assim sou eu.

    ResponderExcluir
  16. Rezei também. Nessas horas, todo mundo reza. Incrível. Pedi pra Nossa Senhora das Edificações me iluminar e fazer com que tudo ficasse bem e prometi que, no futuro, compraria um apartamento num andar alto só pra glorificar a sua existência. Sou prático e tenho aquele sonho de morar num arranha-céu, então já estou íntimo da santa. Agora somos Best Friends Forever. Ela falou que só preciso repassar uma quantia do meu condomínio para um pedinte na rua. Adoro essas entidades modernas.



    O MELHOR PARÁGRAFO

    ResponderExcluir
  17. Muito, muito, muito, mas muito bom.

    Tudo bem que a Karina não apareceu no meu post de ontem, mas né?

    ResponderExcluir
  18. Vou trabalhar, feliz. Adorei o tanto que ri desse texto.

    Beijos Taffa, seu lyyyyndo que sofre bullying guaranístico...

    Não sofrerá mais. Você é nosso herói.


    Também, o fdp que escolheu esse tema tinha que sair com algo prestando.

    hahaha
    Muito bom
    Fui!

    ResponderExcluir
  19. Só pra não dizer que coopero com o bullying guaranístico não vou deixar 24 comentários.

    ResponderExcluir
  20. definitivamente, ficou muito bom mesmo. parabéns.
    vou aprender a florear mais as coisas com você.
    quer dizer, aprender a ser mais viadinha.
    TO BRINCANDO.
    é porque relacionei isso com as flores do florear, enfim.

    ResponderExcluir
  21. é verdade.
    você escolheu o tema.
    por isso ficou tão bom.
    rs

    ResponderExcluir
  22. mas sério, eu achava que eu era exagerada.
    marina, tá vendo? não sou.

    ResponderExcluir
  23. e realmente isso é cômico.
    mas não acho que seja um defeito. exatamente por ser engraçado.

    enfim, vamos a entrevista:
    quando você sugeriu o tema já sabia o que ia postar?

    ResponderExcluir
  24. Pergunta que não quer calar e que eu quase fiz também: você sabia o que ia postar?


    Isso nem sempre dá certo pra mim, às vezes, quando sugiro algo eu sei do que quero falar, depois esqueço.

    Enfim, isso não é defeito, seu lyyyndo!

    ResponderExcluir
  25. O MELHOR POST DE TODOS OS TEMPOS!!![2]

    ResponderExcluir
  26. Quando sugeri o tema, não sabia o que ia postar.

    Na verdade escrevi essa bíblia aí ontem à noite. Coisa de meia hora, rapidinho.

    ResponderExcluir
  27. aulas de viadice e floreio com Brant.
    ~ Matrículas abertas ~

    ResponderExcluir
  28. Na verdade escrevi essa bíblia aí ontem à noite. Coisa de meia hora, rapidinho.

    Ô guaranetes! esse carinha tá querendo humilhar nóis!

    ResponderExcluir
  29. Pior de tudo, Helô, que eu sou obrigada a acreditar nele, sabia? Foi nosso convidete por muito tempo e, assim como você, era super rápido pra fazer os textos.



    Mas será????? hahaha

    ResponderExcluir
  30. Linda sou eu que acabei de criar um "texto" de 53 páginas.

    MORTA, literalmente.


    Gente, a Nina vai chegar lá pelas dez da noite e eu ainda tenho que fazer estrogonofe. Pode? ãhãnnnn!!

    ResponderExcluir
  31. É para rir? Porque CA-RAM-BA. Gargalhadas horrorosas soltei aqui! Adoooooro essas "presepadas"! :)
    hahaha

    Também tenho uns momentos assim, mas não os descreveria tão bem. Sou mais entrosada com a minha rude forma de descrever as coisas: na real.

    ;)

    "xô" comentar isso aqui no twitter. :)

    ResponderExcluir
  32. Gente!! Juro que tá inacreditável! Quase um roteiro de novela mexicana, huuuu!!

    Adorei!! Arrasou, Brant!

    Agora, uma perguntinha: você é sagitariano?

    =P~

    Beijoquinhas e bom fim de semana pra todos! =)

    ResponderExcluir
  33. Nina, sou de capricórnio!

    Beijo, seus lindos e lindas.

    Bom final-de-final-de-semana!

    ResponderExcluir
  34. Táffa ..perdoa eu? ..
    só agora consegui ler meu post ...

    eu passei mal (engasguei de verdade) de tanto rir.

    Brant: já pensou em ser roteirista ou ator??? Pq vc escreveu tão bem que consegui imaginar a cena e as caras sua. E olha q nem te conheço!!![2]

    ResponderExcluir
  35. AMEI ..
    nem quero que fique mais preso e nem que aconteça nada de ruim ..

    mas espero que essa semana seja inspiradora pra você.

    hahha

    ResponderExcluir

Sinta-se em casa. Sente-se conosco,tome um guaraná e comente o que você quiser e depois, aguente!!! hihihi