sábado, 29 de agosto de 2009

Educar sem pudor

Por Taffa
Tema proposto: daria aula de...
Se existe um assunto que antigamente era retratado como algo simples, mas que de alguns anos pra cá se tornou um tabu, é o sexo.
O sexo evoluiu. Se tornou algo dinâmico.
E o que outrora era um ato realizado apenas para a ‘consumação’ do casamento, hoje em dia se tornou algo mais prático, interessante e cheio de detalhes que o transformam em um ato mais... picante.
.
Se eu fosse algum profissional e pudesse optar por uma carreira mais inusitada e direta, com certeza optaria por esta e daria aulas e palestras sobre sexualidade.
.A abordagem do sexo na vida dos jovens deveria começar numa idade intermediária, preferencialmente durante a pré-aborrecência, pois é nesta idade que começam a surgir as ‘piores’ dúvidas: aquelas em que o jovem se pergunta, constantemente, sobre determinados assuntos que ele não possui coragem suficiente para abri-los com qualquer amigo ou familiar.
.Em minhas aulas/palestras, eu exemplificaria ao máximo. É claro, com exemplos abstratos e teóricos, porém, preferencialmente, não com nomes de alunos que fizessem parte da turma onde eu lecionasse, pois isso causaria diversos transtornos nos jovens e poderia também contribuir com problemáticas que definiriam, futuramente, uma boa parte da formação de suas atitudes e seu caráter.
.
Mas sinceramente, eu banalizaria o sexo e o faria um pano de chão e o esfregaria em todos os cantos e frestas visíveis. Mostraria como é comum sentir atração física e falaria sobre assuntos que iriam muito além do que aquelas aulas fatídicas sobre DSTs e métodos contraceptivos.
.Afinal, explorar a sexualidade do ser humano é algo essencial para que conheçamos melhor a nós mesmos. E como li certa vez em um dos livros de Eddie Van Feu: “A mente é como um paraquedas: funciona melhor quando está aberta”..

57 comentários:

  1. CHÃO DE GIZ

    Zé Ramalho

    Eu desço dessa solidão
    Disparo coisas sobre
    Um Chão de Giz
    Há meros devaneios tolos
    A me torturar
    Fotografias recortadas
    Em jornais de folhas
    Amiúde!
    Eu vou te jogar
    Num pano de guardar confetes
    Eu vou te jogar
    Num pano de guardar confetes...

    Disparo balas de canhão
    É inútil, pois existe
    Um grão-vizir
    Há tantas violetas velhas
    Sem um colibri
    Queria usar quem sabe
    Uma camisa de força
    Ou de vênus
    Mas não vou gozar de nós
    Apenas um cigarro
    Nem vou lhe beijar
    Gastando assim o meu batom...

    Agora pego
    Um caminhão na lona
    Vou a nocaute outra vez
    Prá sempre fui acorrentado
    No seu calcanhar
    Meus vinte anos de "boy"
    That's over, baby!
    Freud explica...

    Não vou me sujar
    Fumando apenas um cigarro
    Nem vou lhe beijar
    Gastando assim o meu batom
    Quanto ao pano dos confetes
    Já passou meu carnaval
    E isso explica porque o sexo
    É assunto popular...

    No mais estou indo embora!
    No mais estou indo embora!
    No mais estou indo embora!
    No mais!...

    ResponderExcluir
  2. Alô, alô, moçada.
    Eu sabia que esse tema não ia presta, ia acabar em sexo.
    Povo mais lascivo e eu aqui, pudica que só...

    ResponderExcluir
  3. Assim, vou ali postar no blog de minha irmã e já volto pra comentar.
    Hoje é dia de administrar blogs.
    Já postei no do meu pai (Zarico - tem link aqui no Guaraná, à direita). Deem uma passadinha por lá pra apreciarem as obras do Artista.

    ResponderExcluir
  4. Foda ser da roça, né? Eu escrevi "presta"... quinem falo... hahahaha

    ResponderExcluir
  5. Taffa, comento seu texto depois, preciso ir ali... e tava ali... hahaha

    ResponderExcluir
  6. " (...) eu banalizaria o sexo e o faria um pano de chão e o esfregaria em todos os cantos e frestas visíveis."

    Sinto-me tentada a comentar o seu texto, mas diante disto me faltam palavras.

    bjo!

    ResponderExcluir
  7. Obrigado por ter postado o meu textículo, Rosaninha.

    ResponderExcluir
  8. Textículo, porque é um texto pequeno e já que o tema abordado é a sexualidade, me senti na liberdade de neologizar por aqui.

    ResponderExcluir
  9. O marcador sexo finalmente fez jus ao nome.

    ResponderExcluir
  10. Li a frase “A mente é como um paraquedas: funciona melhor quando está aberta”, em um dos livros de Eddie Van Feu, mas se eu não me engano, a frase é uma adaptação de um dos pensamentos de Frank Zappa.

    ResponderExcluir
  11. Rosaninha, eu obedeci ao tema "Daria aula de..", ok?!

    ResponderExcluir
  12. Gente, só pra frisar: esta foto é obra do fotógrafo Jacek Pomykalsi, especialista em nú artístico.

    Quem quiser conhecer mais da obra dele, pode encontrar em: http://www.pomykalski.com/.

    étendência.

    ResponderExcluir
  13. Obrigado pelo comment, Pri.

    Gente, vou nessa.

    Ótimo findi pra todo mundo.

    Mil beijos.

    ResponderExcluir
  14. Taffaaaaaaaa, acredito que antigamente sim, é que o sexo era tratado como tabu e diferentemente de como você fala, hoje é que ele é algo mais simples.
    Digo da forma com que ele é tratado. E olha que eu tenho mais de meio século de vida. Tudo era muito escondido, não conversado e talvez por isso ‘imaginado’ algo só estilo papai-e-mamãe; homem e mulher; e o tal sexo pra procriação. Mas nera assim não. Pode acreditar!!! O buraco era mais embaixo e o povo pipocava.
    Hoje sim tá tudo mais aberto.

    ResponderExcluir
  15. Agora eu concordo com o fato dele ser mais “dinâmico” e, exatamente, por ser mais falado, discutido, ele deixou de ser tabu.


    Explique-se... hehehe

    ResponderExcluir
  16. Você seria um professor de adolescente? É isso? iurúúúúú Seria quase uma Laura Miller?

    ResponderExcluir
  17. Como assim banalizar o sexo? Esse negócio de fazer do sexo um pano de chão vai dar ideia pra muita gente... hahaha Sossega!!!.

    ResponderExcluir
  18. Taffaaaaa, retifiquei o babadinho lá do tema livre (tada doida, doida) e acrescentei o autor da foto e o link pra quem quiser saber mais dele, ok?

    Muitoooooooo bom, gosteiiii!

    ResponderExcluir
  19. Eu daira de aula de: como não magoar as pessoas, como amar melhor, como fazer o bem, como não sofrer!!!

    ResponderExcluir
  20. Hehe!
    Obrigado pelas correções, Rosaninha.

    ResponderExcluir
  21. Rosana, eu suponho que antigamente o sexo não era um tabu pois a educação sexual era baseada em um ensino exclusivamente masculino.

    Deixa eu explicar: os homens, matutos, se sentiam na obrigação de fazer pelo menos 10 filhos nas mulheres, tudo isso apenas para provar o quão machos eram.

    As mulheres, não recebiam educação sexual nenhuma [ou sempre imaginei que não recebiam] e muitas vezes eram tratadas apenas como 'sacos para dar à luz às crianças e faxineiras do lar'

    ResponderExcluir
  22. Desta forma, o sexo não era algo aberto perante a então dita 'sociedade'.

    Pois os pais, para iniciar a vida sexual dos filhos, os levavam até prostíbulos e os 'ensinavam' que era preciso usar o sexo como uma simples ferramenta do homem. Algo destinado ao que eu disse acima: fazer filhos na mulher.

    As mães, donas de casa e desconhecedoras da sexualidade, apenas ensinavam as filhas a costurar, lavar, passar e por aí vai.

    O sexo era aberto entre os homens e quiçá entre a sociedade: mas não entre as mulheres.

    ResponderExcluir
  23. Por causa disso, acredito que não era um tabu.
    Por ser desconhecido.

    Pois a sexualidade não era exposta a ponto de ser considerada um fato relevante na sociedade.

    Era sexo e pronto.
    "Fú no Bú."

    ResponderExcluir
  24. Com a abertura do assunto à sociedade, diversas coisas novas surgiram, assim como: diversidade sexual, parafernália sexual, fetiches e tudo quanto há.

    Por causa disso, o sexo se viu entre dois extremos: os que possuíam a mente aberta para falar sobre isso e os que continuavam com a mesma cabeça de cinquenta anos atrás.

    ResponderExcluir
  25. Resultado: opiniões opostas e grandes debates que envolviam a sexualidade e trabalhavam o sexo como algo mórfico, algo que ia do profano ao celestial.

    ResponderExcluir
  26. Presumo que o sexo se TORNOU um tabu.
    Pois antes ele era algo praticado, porém não aberto e não especificado, como é hoje.
    O sexo era só sexo.

    Com a abertura das idéias e com o crescimento gigante da diversidade, ele evoluiu e trouxe com isso diversas opiniões e prós e contras.
    O sexo não é mais apenas sexo.
    Definir sexo se tornou algo complexo.
    Agora ele é sinônimo de prazer e de desejos que antes eram 'escondidos', mas que hoje [na maioria das vezes] não são mais.

    ResponderExcluir
  27. O sexo deixou de ser apenas uma 'ação' e começou a ser considerado um 'ritual'.

    E o tabu nasceu disso.
    Das pessoas que começaram a fazer parte de todas as novidades, versus as pessoas que ainda acham que o sexo é apenas o ato de antigamente.

    ResponderExcluir
  28. Haha!
    Eu, quase uma Laura Müller?

    Adorei a assimilação.

    Mas eu daria sim palestras e aulas sobre sexo para adolescentes.

    Acho que ia quebrar muito o gelo do assunto, quando os alunos vissem que um jovem ia dar aulas de sexo para jovens.

    ResponderExcluir
  29. Hheheheehhaha!
    E o pano de chão é um lance bem metafórico mesmo.

    No maior estilo: pegar o sexo e esfregar na cara das pessoas que possuem mente fechada, para que vejam que é normal fazer sexo, sentir prazer e se excitar.

    ResponderExcluir
  30. Mas Taffa, o que você entende por tabu?
    Nós concordamos em tudo, exceto na compreensão do que é tabu.
    Tabu é proibição, é censura, é vergonha. E havia tudo isso no passao, hoje não mais.
    Até olhei no Aurélio porque pensei: tô doida, tô doida, tô doida. Tô não!!!

    ResponderExcluir
  31. E eu entendo o sumiço da galera...
    Final de semana o Guaraná fica em Stand by...

    ResponderExcluir
  32. Ahhh, viu só eu coloquei lá o tema. Eu tava doida, tava doida, tava doida..

    A Polly tá revoltada... hahaha

    ResponderExcluir
  33. Rosaninha, para nós o significado de Tabu é o mesmo: algo que a galera acha que é impuro, profano e contra as leis sagradas de deus.

    Acho que só a mensagem subentendida que eu tentei passar não chegou do jeitinho que eu queria: a liberdade da opção sexual.

    Ser gay e manter relações com o mesmo sexo para uns é comum e para outros é tabu.

    Hoje em dia a opção sexual é mais aberta. E antes não.

    Não apenas isso: mas a diversidade na cama.

    O BDSM, também conhecido como: Bondage e Disciplina, Dominação e Submissão, Sadismo e Masoquismo, possui seus praticante que o consideram uma prática normal e os anti tudo isso, que o consideram algo errado.

    Logo, também é um tabu. E é moderno.

    ResponderExcluir
  34. O fetichismo e a parafernália sexual, que antes também não tinha uma abertura e sequer existia direito, não era um tabu pois não era exposto.

    Agora existem as mulheres que não veem problema algum em ter um consolo, versus as mulheres que acham aquilo o pior absurdo do mundo.

    ResponderExcluir
  35. É como eu imagino: antes, o sexo era algo sem tantas facções.

    Agora, com esse desmembramento da sexualidade, começaram a surgir as diversas idéias e formas de pensar.

    Com isso, o assunto foi ganhando os praticantes e os anti.

    Tabu pra mim é a imposição que as pessoas tem com relação a um ato, pois pra eles aquilo é errado.

    E tudo isso se encaixa nesse contexto, pois há o grupo dos que consideram tudo normal e o grupo dos que consideram tudo aquilo uma loucura.

    ResponderExcluir
  36. Eu suponho que sexo, como um todo, é um tabu HOJE.

    Pois só hoje ele conseguiu força suficiente para causar toda essa evolução que vem acontecendo ultimamente.

    Pompoarismo, ménage à trois, bonecas infláveis e até mesmo swings e orgias.

    O sexo hoje é um tabu.

    ResponderExcluir
  37. Algumas pessoas apóiam um determinado ponto de vista, mas são contra outro ponto.

    E da mesma forma outro grupo faz essa mesma coisa, mas com objetivos diferentes.

    Pessoas diferentes.
    Culturas diferentes.
    Continentes diferentes.

    No Islamismo, um muçulmano pode se casar diversas vezes e ter várias esposas, ao mesmo tempo: é a poligamia.

    Aqui no Brasil, no catolicismo, um homem se casar com várias mulheres é um absurdo.

    Logo, há divergência.
    Logo, a poligamia também é um tabu, quando em debate católico.

    ResponderExcluir
  38. Da mesma forma, na holanda a união homossexual já é aceita e existem diversas ONGs que apóiam tudo isso.

    Se um casal desses for parar lá no Oriente Médio, ou vão ser decaptados e ou vão sofrer um milhão de coisas que eu sequer posso imaginar.

    Mais um tabu.

    Digamos que eu estou tentando abranger um contexto maior, alcançar uma pá maior de pessoas.

    Aí sim dá pra enxergar o quanto o sexo é um tabu, em todos os cantos do mundo.

    ResponderExcluir
  39. Mil beijos para você, minha parceira de debates sexuais.
    hehehehehehe!

    Agora vou-me já, preciso adiantar alguns afazeres.

    Abraço apertado!
    Para tooodo mundo!

    Beijomeligameamaedesliga!

    ResponderExcluir
  40. tendi foi nada

    [vide post + comentários]

    ResponderExcluir
  41. eu também acho que sexo era tabu. e hoje em dia não é mais.



    [sempre que falo/ouço 'hoje em dia' lembro do programa. merda.]

    ResponderExcluir
  42. e sei lá.. dar aula sobre atração.. sexo... deve ser... estranho.
    não?


    [aí eu ouço 'não para taffarel brant. não pra ele!' haiuhdsiuhsdaiuhda]

    ResponderExcluir
  43. de qualquer forma..

    isso explica porque o sexo é assunto popular..

    no mais, estou indo embora.

    ResponderExcluir
  44. De boa, eu acho que sexo já foi mais tabu sim e que hoje a coisa tende a melhorar.

    ResponderExcluir
  45. De boa, eu queria ser professor de sexo sim, mas da prática da coisa.

    ResponderExcluir
  46. E de boa: eu tô doido pra fazer sexo.

    (hahaha)

    ResponderExcluir
  47. De boa, Laurinha tem razão, claro que baseada no Zé Ramalho: isso explica porque sexo é assunto popular

    ResponderExcluir
  48. De boa, o Taffa viaja na maionese. Tabu é tabu e pronto ué... hehehe

    ResponderExcluir
  49. De boa, eu não conheço essa pessoa que tá doida pra fazer sexo.


    Falando nisso, a Paulinha é vaaa quinha, né? Nem a segunda dá conta dela.

    ResponderExcluir
  50. De boa, não dá pra dissertar senão sou tachado de 'viajante na maionese'.

    ResponderExcluir
  51. --->>>Invasão no post alheio: Quanto mais às claras, menos problemas teríamos com o sexo e todas as suas implicações - boas e ruins. Voto pela sua profissionalização no tema!rs

    ResponderExcluir

Sinta-se em casa. Sente-se conosco,tome um guaraná e comente o que você quiser e depois, aguente!!! hihihi