quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Ensinar a entender...

Por Rosana Tibúrcio
Tema proposto: daria aula de...

imagem

Sou formada em Pedagogia e não sei bem o motivo. Nunca dei aula, apesar de ser agora uma pedagoga às avessas, como afirmo há uns oito anos: oriento os desorientados...rs
.
Eu, Rosana Tibúrcio, não seria uma excelente professora como desejaria ser, se tivesse essa profissão. Não teria a eficiência necessária às professoras convencionais que atuam em disciplinas curriculares oficiais. Não daria dessas aulas, portanto, porque se for pra eu dar (hihihi) seria imprescindível que eu soubesse muito ou que, no mínimo, estivesse sempre disposta a procurar, vasculhar e, sobretudo, encontrar respostas adequadas aos alunos. Não tenho essa capacidade pra nenhuma disciplina, reconheço.
.
O meu sonho em ser professora de alguma coisa vai além dessa normalidade curricular e comportamental dos educadores. Mas antes, seria necessário que eu apreendesse tudo da vida para eu poder ensinar o que eu quero, bom ressaltar... antes que me joguem pedra.
Como isso aqui é uma viagem e tudo é permitido eu daria aula de “vou te ensinar a não esquecer que você já pensou/sentiu/agiu tal qual, então não estressa quem passa por dificuldades.”
Porque assim: como eu me irrito em perceber pessoas tentando ensinar/sugerir/aconselhar, seja lá o que for, se esquecendo que já tiveram dificuldades semelhantes, que já passaram por caminhos parecidos (não me excluo de ser um desses adultos, eu bem sei disso, apesar da vontade de não fazer parte desse grupinho).
.
Tentar explicar.
Há crianças fazendo alguma atividade: lúdica ou não. Uma delas molha o papel que não podia molhar, o adulto se irrita. A criança vai carregar alguma coisa, deixa cair e o adulto diz que ela é distraída. Ahhh, tenha santa paciência!!
Vamos pular para a adolescência. A adolescente arruma um namoradinho. O namoro é desfeito e ela chora muito. O adulto (o que se acha mestre) não entende que a angustia é normal naquelas situações; que já sentiu isso um dia e, se se esforçar bem, lembrará como foi insuportável aquilo tudo. Só que o adulto esquece e faz questão de esquecer o que sentiu um dia. E fica atormentando a cabeça da adolescente.
Passa o tempo e o jovem, já na época do vestibular, quase sempre tem por perto um adulto exigindo que ele tome uma decisão, de preferência irrevogável, do que quer ser na vida. Dá licença!!! Não me estresse, por favor!!! Como assim? O bichinho inda tá fedendo a fralda e não pode ter dúvida ou se arrepender? O adulto “orientador” nunca foi assim?
Os filhos namoram e os pais acham que a filha vai continuar virgem a vida toda ou esperar o dia do casamento. Faça-me o favor, de novo!! Não vai me dizer que você, senhora mãe imbecil, ou você, senhor pai castrador, nunca molharam a calcinha ou ficaram de pauzinho duro – necessariamente nesta ordem colocada, claro... rs
.
Então eu daria aula, aos adultos em geral, de como lidar com gentes que vivenciam pela primeira, segunda ou terceira vez, não importa, situações semelhantes as que eles vivenciaram um dia e que fazem questão de esquecer e, sobretudo, de não entender quem está em dificuldade, sofrimento ou dúvidas.
.
É claro que isso é pura utopia. É evidente que por mais que alguém me ensinasse a ensinar o que eu desejaria pra mim, como mestra, jamais aprenderia o suficiente para fazer com que as crianças, adolescentes e jovens que amo não sofressem o que eu sofri ou o que vão sofrer, por certo.
Há coisas na vida e no crescimento pessoal, acadêmico, profissional, que são inevitáveis, mas é possível evitar sim aquela superioridade que os adultos têm em julgar todo e qualquer sofrimento/duvida/dificuldade dos mais jovens. Isso eu não engulo!
.
Daria aula então – se tivesse domínio suficiente (claro que nunca terei... por isso não vou dar nada...) de como viver bem e feliz; de como entender e me identificar com a dificuldade do outro. Minha disciplina não teria, como podem ver, um nome específico. Teria como específico e primordial apenas a vontade de me colocar do lugar do mais jovem e meio que dizer assim: “pra muitas coisas na vida não há explicação, por isso calma, tenha calma, eu te entendo e, no final, tudo vai dar certo...”
Viver não é fácil não e, exatamente, por isso se pudesse eu daria aula de como viver bem e sem se descabelar. Só assim eu poderia indicar trilhas corretas pra que minhas gentes fossem unicamente felizes. Mas como, se não sei nem cuidar das minhas próprias trilhas? Fatal!!
.

Uma linda quinta-feira pra todos vocês, pois nas quintas há algo diferente no ar e hoje euzinha aqui queria saber tudo de felicidade e vida boa pra ensinar às minhas gentes: vocês.

.

31 comentários:

  1. O segundo sol
    Cássia Eller
    Composição: Nando Reis

    Quando o segundo sol chegar
    Para realinhar as órbitas
    Dos planetas
    Derrubando
    Com assombro exemplar
    O que os astrônomos diriam
    Se tratar de um outro cometa...(2x)
    Não digo que não me surpreendi
    Antes que eu visse, você disse
    E eu não pude acreditar
    Mas você pode ter certeza
    De que seu telefone irá tocar
    Em sua nova casa
    Que abriga agora a trilha
    Incluída nessa minha conversão...
    Eu só queria te contar
    Que eu fui lá fora
    E vi dois sóis num dia
    E a vida que ardia
    Sem explicação...
    Quando o segundo sol chegar
    Para realinhar as órbitas
    Dos planetas
    Derrubando
    Com assombro exemplar
    O que os astrônomos diriam
    Se tratar de um outro cometa...
    Não digo que não me surpreendi
    Antes que eu visse, você disse
    E eu não pude acreditar
    Mas você pode ter certeza
    De que seu telefone irá tocar
    Em sua nova casa
    Que abriga agora a trilha
    Incluída nessa minha conversão...
    Eu só queria te contar
    Que eu fui lá fora
    E vi dois sóis num dia
    E a vida que ardia
    Sem explicação...
    Seu telefone irá tocar
    Em sua nova casa
    Que abriga agora a trilha
    Incluída nessa minha conversão...
    Eu só queria te contar
    Que eu fui lá fora
    E vi dois sóis num dia
    E a vida que ardia
    Sem explicação...
    Explicação
    Não tem explicação
    Explicação, não
    Não tem explicação
    Explicação, não tem
    Não tem explicação
    Explicação, não tem
    Explicação, não tem
    Não tem!!

    ResponderExcluir
  2. Assim, alguém poderia me dar aula de como escrever pouco dizendo muito?
    Porra meu, eu falo demais, nem eu suporto o tamanho dos meus textos.
    ÍMPIO

    ResponderExcluir
  3. Na verdade, eu queria colocar aqui a música "Água" que Caetano canta, mas não tem nesses sites de musica. Cês conhecem? É uma delícia.

    Eu vou ficar aqui torcendo para tudo melhorar
    Eu juro que vou
    E sei que vai passar o seu rancor
    O sangue não se torna água

    Eu vou ficar aqui torcendo para você se recuperar
    Eu vou ficar sim cantando para você ninar
    Eu quero que tudo melhore

    Calma, tenha calma
    Ninguém pode viver assim
    Calma, tenha calma
    Que o mundo não tem fim


    Se alguém se interessar: http://www.youtube.com/watch?v=F5lTrp8UnOg

    ResponderExcluir
  4. [Ela nem sabe que já ensina a gente pra caramba, né não?!]

    ResponderExcluir
  5. adoro a expressão 'pedagoga às avessas'

    ResponderExcluir
  6. Não tenho essa capacidade pra nenhuma disciplina, reconheço.

    ce tá de brinks.. e a metodologia científica, mulher?

    ResponderExcluir
  7. [na primeira linha do quarto parágrafo começou a rolar uma dor no peito tipo: esse recado deve ser pra alguem ... tipo... eu?]

    ResponderExcluir
  8. tá faltando um marcador ali, mãe.

    ResponderExcluir
  9. por exemplo.. você podia ser psicóloga.
    não?

    ResponderExcluir
  10. pode ser até aassim.. 'às avessas', sem o curso superior pra você não precisar estudar cada nervinho do cérebro.
    ou não.

    ResponderExcluir
  11. e realmente você entende muito bem as pessoas.
    hehe

    ResponderExcluir
  12. e é muito legal.
    às vezes, até de mais..

    ResponderExcluir
  13. em suma..
    suas aulas seriam boas.
    e eu tentaria fazer parte da primeira turma.
    porque eu preciso.

    ResponderExcluir
  14. suas aulas seriam boas.
    e eu tentaria fazer parte da primeira turma.
    porque eu preciso.

    EU tinha que ter falado isso!

    ResponderExcluir
  15. é.. mamãe.
    faz escarcéu.

    ninguém veio.
    ;(

    ResponderExcluir
  16. Laurinha, a primeira linha daquele parágrafo pode ser pra você sim, e pro seu pai. Deus me livre docês dois não têm paciência com os pititinhos... hehe

    ResponderExcluir
  17. Metologia Científica, sim, eu poderia ser professora desse trem. Tem gente que sabe menos que eu e é professora. hahaha
    Num lembrei disso.

    Que marcador ficou faltando?

    ResponderExcluir
  18. Vou fazer escarcéu mesmo, povo mais viado não veio ler meu post/testamento.
    O Rafa com dois minguados comentários tá no rolo da meu ímpio também.
    Deixa estar: tem segunda, terça e quarta pra eu vingar.
    Sexta eu compareço Laurinha...
    lálálárilálá.

    ResponderExcluir
  19. Laurinha você encheu minha bola!
    O Rafa também, tá... rs

    ResponderExcluir
  20. Na verdade eu podia dar aula de sexo, mas ando desatualizada no quesito prática hahahahaha

    ResponderExcluir
  21. Eu juro que também fiz essa associação da prática com as aulas de sexo quando pensei no meu post.

    rs

    ResponderExcluir
  22. E faço intencionalmente um único comentário que é pra ele ficar com um conteúdo super, todo mundo reparar nele e tals, e ela me xinga.

    isso magoa!

    ResponderExcluir
  23. Caramba, Rosaninha.
    Isso tudo que você escreveu é bastante tocante.

    Seria digno até mesmo de uma coluna em alguma revista que retrate este tipo de assunto.

    ResponderExcluir
  24. Eu gostei muito.
    E diria que foi o texto mais bacana que já li de sua autoria.

    ResponderExcluir
  25. Esse lance de 'ensinar aos adultos' e tudo mais.

    Ficou muito bem colocado.

    ResponderExcluir
  26. Em suma: adorei.

    E não achei o texto nenhum testamento.

    Textos bons conseguem prender o leitor até o fim.

    E o seu me prendeu.

    Grande abraço.
    E ótimo finalzinho de quinta!!

    iuruuuuul...

    ResponderExcluir
  27. Só agora cheguei em casa.
    .
    Assim que li a tal linha, pensei no meu pai, depois que me lembrei da paciente Laurinha. kkk
    .
    A senhora orientar os desorientados, hhahahah é bom demais
    .
    Você e Rafa dando aulas de sexo, nem imagino e nem quero imaginar como seria.

    ResponderExcluir
  28. O Rafa ficou magoado tchin tchin...
    Mas ele me ama assim mesmo e eu hoje me lembrei da apresentação do Le Bizarre, mandei mensagenzinha e tal, espero que o celular dele tenha recebido e tô aqui torcendo muito, muito e muito.

    ResponderExcluir
  29. O Taffa gostou do meu texto, do que eu falei, encheu minha bola e eu fiquei cheia de SI.

    iurúúúú

    ResponderExcluir
  30. A Nina chegou em casa, leu meu texto e riu.. arrááááá.
    beijos moçadinha.

    Nem vou perguntar pela bandida faltante, tudo bem, aposto até que foi ela quem sugeriu o marrdito tema.

    ResponderExcluir
  31. Mainha!

    Apresentação com mensagem sua é outra coisa, viu?!

    ResponderExcluir

Sinta-se em casa. Sente-se conosco,tome um guaraná e comente o que você quiser e depois, aguente!!! hihihi