quinta-feira, 16 de abril de 2009

Altruísmo ou satisfação pessoal?

Por Rosana Tibúrcio
A adoção me provoca curiosidade e uma série de indagações a respeito do adotante, adotado e do próprio ato de adotar. Creio que minhas reações são normais e muitos pensam e sentem como eu.
O que pode não ser normal – já que nem todo mundo é “chato” como eu - é uma, dentre tantas, indagação que mais me “cutuca”: adotar por altruísmo ou por satisfação pessoal?"
.
Já adianto que seja lá o motivo que impulsiona o adotante ele está num nível bem mais elevado que o meu, porque nunca pensei em adotar, não penso e creio que nunca adotarei uma criança.
E o adotante, seja por que motivo for, traz pra sua família, na condição de filho, uma pessoinha que lhe é estranha, ele, na verdade,
muda o destino de alguém: parabéns, pra ele então. Só por isso um bem já foi feito, não interessando, a princípio, as razões e o levaram a adotar.
Mas mesmo assim eu penso que a adoção mais sublime é aquela feita por altruísmo, pura e basicamente por isso. Assim como fizeram aquelas famílias que participaram do Caldeirão do Huck no final de 2007 e 2008 (sim, eu assisto, e gosto... hehe): a família Rosário, comandada pela
mãe Abgail e a família Roberts, comandada por Dona Etani.
.
Me soa um pouco “esquisito” - mas não menos nobre - isso de adotar por satisfação pessoal, essa história de ir num lugar e “escolher” uma criança. E alguns adotantes têm, inclusive, as características ideais para o seu futuro filho. A maioria prefere um neném recém-nascido, perfeito e branco. Não sou eu, Rosana Tibúrcio, quem fala isso. São as
pesquisas, são os estudiosos e especialistas no assunto que assim afirmam.
Aqui mesmo no Guaraná, quando desse tema proposto, uma das guaranetes disse algo sobre “o modelo” do neném pretendido. Falo com muita liberdade porque foi minha filha quem disse, e ela, além de ser uma pessoa do bem, não é uma E.T, nessa pretensão. A maioria quer assim. Atualmente a questão da cor da pele tem sido menos requisitada e há até quem queira uma criança negra. Essa é uma das vantagens das vidas dos famosos serem tão divulgadas e, uma ou outra boa ação, copiada: Angelina Jolie, Madonna, Juca Chaves, dentre outros, adotaram ou desejam adotar uma criança negra. Ponto pra eles. Mas a preferência por um adotado neném, com idade de 0 a 6 meses, ainda é muito evidente.
Me corta o coração ler histórias de crianças que vivem em abrigos (
há no Brasil, cerca de seis mil abrigos com oito mil crianças e adolescentes disponíveis para adoção) e que, a cada chegada de um adulto, sonha ser a escolhida e, a cada saída desse adulto com outra criança ou bebê, tem sua autoestima diminuída. Daí surgem: a revolta, a frustração e os traumas (mas isso é tema pra outro post).
.
Voltando à adoção por satisfação pessoal o que eu vejo muito é isso: o casal adota uma menina porque só tem meninos; um menino porque só tem meninas; um menino ou uma menina porque não conseguem ter filhos e não querem passar pelas dificuldades de uma inseminação artificial; um neném porque o pequenino (eles creem assim) vêm sem vícios de uma família desestruturada ou de um abrigo e, assim vai... Ou seja, adotam porque a adoção resolverá um ou outro problema pessoal.
É isso que me incomoda um pouco, mas é um pouco só, porque como eu disse no início deste post/pesquisa científica (hehe tá no sangue) esses casais são bem melhores que eu porque não sinto essa necessidade de adotar e não tenho, acima de tudo, nenhuma vontade de adotar.
.
Em relação ao adotado, creio que a história da adoção deve ser contada a ele desde o início, frisando que ele não foi um preterido (porque os pais biológicos não o criaram) e sim: um preferido.
Se a história fosse relatada dessa forma, desde o início, não haveria essa revolta descabida entre os adotados. Há dois fatos reais: pais não puderam criar e pais querem criar. Por que então não acentuar o “querer”? Façam-me o favor!!
.
Então, você que quer adotar, adote, mas saiba reforçar esse seu querer, esse bem-querer, aliás, à criança adotada e provavelmente ela será um adulto feliz, leve, grato e realizado.

Enfim, euzinha aqui afirmo que sou favorável a qualquer tipo de adoção: seja por altruísmo ou satisfação pessoal, por casais gays ou casais convencionais, por solteiros, viúvos, divorciados ou casados, seja tardia ou não.
Acredito mesmo que mais vale um adotado que uma criança revoltada e maltratada num abrigo, numa família em total desarmonia ou na rua. E à merda as convenções e babaquices da sociedade repressora e imbecil. Se você deseja adotar, adote, "mude um destino", é o que sugere um linda campanha iniciada em 2007, pela Associação dos Magistrados do Brasil (AMB).
É isso!!!

Uma linda quinta-feira a todos vocês, pois nas quintas há algo diferente no ar e hoje convido vocês a uma "reflexão" sobre o ato de adotar.
Beijos a todos que amo e adoto como meus.
.

46 comentários:

  1. Rosana, a pesquisadora...16 de abril de 2009 11:27

    Moçada, isso foi uma verdadeira pesquisa científica, mas não resisti e resolvi linkar porrada de coisinhas. Quero ver Laurinha clicar em tudo... hehehe

    Ah, que maldade, logo hoje ela tão dodoi ainda.
    Marininhaaaaaa, ela tá gripadinha, e muito!! mó dó, nem foi na Crivo ontem, penso que nem hoje ela vai.
    beijosssss

    ResponderExcluir
  2. Minha herança: uma flor[Vanessa da Mata]

    Achei você no meu jardim
    Entristecido
    Coração partido
    Bichinho arredio

    Peguei você pra mim
    Como a um bandido
    Cheio de vícios
    E fiz assim, fiz assim

    Reguei com tanta paciência
    Podei as dores, as mágoas, doenças
    Que nem as folhas secas vão embora
    Eu trabalhei

    Fiz tudo, todo meu destino
    Eu dividi, ensinei de pouquinho
    Gostar de si, ter esperança e persistência
    Sempre

    A minha herança pra você
    É uma flor com um sino, uma canção
    Um sonho, nem uma arma ou uma pedra
    Eu deixarei

    A minha herança pra você
    É o amor capaz de fazê-lo tranqüilo
    Pleno, reconhecendo o mundo
    O que há em si

    E hoje nos lembramos
    Sem nenhuma tristeza
    Dos foras que a vida nos deu
    Ela com certeza estava juntando
    Você e eu...

    ResponderExcluir
  3. Se ninguém aparecer aqui eu mato, provavelmente.
    Falando em aparecer, alguém tem notícias de Helô???

    ResponderExcluir
  4. Olá Guaranetes!!!
    Eu não tenho noticias da Helô! =/

    Mas se entrar no msn eu peço para passar por aqui e dar um olá... =)

    Eu nunca tinha pensado na adoção pelo ângulo que Rosana colocou, mas concordo com ela que independente do motivo inicial, adoção é sempre um ato lindo!

    Antes de ter Luíza eu cogitava a ideia de adotar, mas depois que veio Lulu muita coisa mudou. Não que eu dê um super valor a laços de sangue, nada disso, mudou pq antes eu não sabia o que é ter um filho [rs]

    Mas quem sabe, mais pra frennte, afinal "nada é por acaso", né Rosana! rs

    Bjos, bjos

    ResponderExcluir
  5. Essa Haline não vale o intestino do Judas... hehehe
    Mas, sim, "nada é por acaso"... hehe

    Esse negócio deu não gostar de msn, dá nisso, perco os queridos.

    ResponderExcluir
  6. Eu penso como vc, desse lance de autruísmo ou realização pessoal e acho um tremendo preconceito essa de escolher até a cor dos cílios da criança que se quer adotar.

    E, convenhamos, vc arrasa nas pesquisas. Pq não falei com vc qdo fiz meu TCC viu... rs

    O que importa é que hj eu tenho uma amiga boooUUUUUaaaa... rs

    a-do-ro essa música da Vanessa...

    bjaaaaooo

    ResponderExcluir
  7. Estou pesquisando frases e palavras sobre mãe pra tal campanha de decoração da cidade aqui da Associação e achei essa que acho que vem a calhar aqui, achei bonito e quis compartilhar:

    "Somos todas mães adotivas, sejam elas geradoras ou postiças... A verdade é que a mãe biológica dos nossos filhos é a vida." Paloma Muniz

    Ando com meu lado materno meio aflorado esses dias, por conta dessa campanha, mas já que passa (ufa!)... rsrs

    bjo.

    ResponderExcluir
  8. Mamãe, tô na lan e passei rapidinho pra ver se a senhora havia postado, .. postou e como postou .. mas preciso sair ..
    volto mais tarde pra comentar tá?
    beijocas

    ResponderExcluir
  9. Ai gentes! Que saudades de vcs! Tô quase sem tempo e muuuuuuita coisa pra fazer.

    ResponderExcluir
  10. Lindo texto Rosanita. Sua franqueza e transparência são incríveis. Pessoa bem resolvida dá nisso!

    ResponderExcluir
  11. Passei rapidinho no G3 e no Outras Trilhas e fiquei triste por você. Como assim? Ele termina um blog e deixa as caetanetes como vc à mingua? Pode não! Vou falar com ele, tá?

    ResponderExcluir
  12. Vai ter show dele em Bsb, vc vai?

    ResponderExcluir
  13. Eu sumi mais que os demais.
    Tava atendendo cliente, moçada. O trabalho começou ressurgir na minha porta. Já num era sem tempo.
    E hoje nada de estresse, deu tudo certinho.
    Sentiram minha falta? hahah

    ResponderExcluir
  14. Flavíssima, adorei a frase e juízo com esse lado maternal. Já já cê adota um pititinho... rs

    ResponderExcluir
  15. Filhote, só não fico de raivinha porque sei seu dia tá corrido e porque cê mandou e-mail pra mim.
    O Rafa me apoia, me ama, me admira, vem na minha casa e, quando pode, manda e-mail pra mim: dia sim, dia sim... hehe
    Mas está aí o texto sobre adoção que cê me pediu.
    Cheiinho de erros, já corrigi porrada agora, deve ter mais, pois fiz hoje e correndinho.

    ResponderExcluir
  16. Helô, que bom que apareceu, senti sua falta.
    Viu só o Caê me abandonando? ai ai
    Mas olha eu quero ir ao show dele em Brasília. Pedi pra Nina ver isso pra mim, tomara ela conseguir. "tô juntanu reals"

    ResponderExcluir
  17. Um post meu com sete comentários? Nunca mais...
    haushaushaushaus

    ResponderExcluir
  18. LAURINHAAAAAAAAAA,
    vem lê post da Rosaninha, vem?
    Tadinha, nem foi pra Crivo, nem pra faculdade, o meu neném...

    ResponderExcluir
  19. nenem? rsrs
    Uma mOlher desse tamanho e com esse monte de criatividade? É InCRIVO vc chamar ela assim... rsrsrs

    Mais tarde nem passei de volta pq a correria afetou o meu trabalho tb... rs

    Bjo de boa noite, tô indo beber... rs

    Ah Rosana, eu adotar? Nem um cão imaginário eu adoto... rsrs

    bjo bjo.

    ResponderExcluir
  20. que tamanho de post..hehehehehehehheeeehhee

    ResponderExcluir
  21. Rosaninah eu nunca havia pensado pelo lado da realização pessoal..
    juro isso não passou pela minha cabeça!!

    Não sei se enaro isso como um tapa burado, e se isso é bom, prefiro refletir e depois opinar..
    mas o altruimos por um lado tb é ruim..
    tem gente que acha que ta adotando ta fazendo favores....

    não sei, não sei

    ResponderExcluir
  22. Acho esse texto tão by Roxane tiburcio, super contxtualizado, cheio de links e afins, ate com um link super cientifico..
    uhu arrepia no f5

    mas e ntão, eu vi o caldeirão do hulck com as familias, eles tinham muitos filhos, não sei na hora achei legal tudo..
    mas eu sinto que continua meio orfanato ainda..

    mesmo eles se tratando como irmão e tendo pais..
    muita criança junto, com os mesmos problemas, não sei para a psicologia como encara isso

    ResponderExcluir
  23. A mente humana é tão louca que eu ate acredito que existam pessoas que adotem para fazer média, aparecer para a rodinha social.
    e o sistema de adoção no pais se desenvolve a base de preferencias mesmo.. comoa dotar um animalzinho
    vc entra no canil, responde o porque de querer um caõzinho, e eles te levam para conhecer os animaiszinhos..
    com orfanatos são assim tb...

    ResponderExcluir
  24. Sobre a Jolie e a Madona, uma é uma estrela conteporanea que ta fazendoe scola no meio egocentrista das celebridades, a outra é famosa mas não sabe o que fazer com sua imagem publica..

    esses lares ainda são melhores do que nada...

    ResponderExcluir
  25. voltei depois de uma longa semana de tortura, pesadelos e passando muito mal....

    espero que não tenham se esquecido de mim, e amanha eu trago surpresinhas..

    beijos demaissssssssss

    ResponderExcluir
  26. Ihhhh, Flavíssimaaaaaaa, num tem procê: Laurinha é meu neném e pronto... hehehe

    ResponderExcluir
  27. A Paulinha lôca, melhor comentarista blogueira voltou, adoUUUro.
    No melhor estilo "uma sempre revoltada" ela manda à merda: as instituições, as celebridades, os canis,o altruísmo...enfim, TUDO hahahahaha
    Inda bem que ela me ama, me admira e vem na minha casa.

    ResponderExcluir
  28. Isso de adotar pra fazer média... Deus me livre, se eu estiver sendo má, mas conheço uma mulher que, no meu entender, adotou porque o filho dela havida ganhado um irmãozinho por parte do pai (que se casou pela segunda vez). Era tão boa, mas tão boa mãe que levava o neném (nesse caso, neném memos de colo, viu Flavíssima?) para a AABB, fizesse chuva ou muito sol, por quantas horas quisesse ficar por lá.
    Nem vou contar o resto...mas juro, foi de cortar o coração.

    Beijos gerais e esse meu comentário tá quase do tamanho do post.

    ResponderExcluir
  29. Fiz bem em pedir seu post sobre adoção, mainha!
    hehe

    Tive crise com essa coisa do altruísmo ou satisfação pessoal.
    Pelo menos é certeza que nunca vou adotar uma criança por ter perdido outra ou por não tem um menino...
    rs

    ResponderExcluir
  30. E eu também acho que a criança deve saber de tudo, desde sempre!

    ResponderExcluir
  31. Ah!
    Num dá pra deixar passar:

    "E à merda as convenções e babaquices da sociedade repressora e imbecil."

    adoreeeeeiiii!!!

    ResponderExcluir
  32. Crase antes de palavrão não é o máximo, minha gente???

    ResponderExcluir
  33. incrível como eu não cliquei em nada mais que o primeiro link
    ahuisahuiashsiuahiasuh

    foi mal ai

    ResponderExcluir
  34. esa música é linda.
    tudo a ver.
    você é ótima.
    achei o texto lindinho, mas grande.
    ahsiuhasuhasiuhasiuash

    ResponderExcluir
  35. não entendi a ligação enre aparecer e Helô.

    ResponderExcluir
  36. eu posso concordar com tudo que a paulinha flaou?

    obrigada.

    ResponderExcluir
  37. estou morrendo aos poucos..
    eu falei isso com a nayara[minhaamiga] ontem e hoje.. aí hoje ela disse 'ah é ne? vvc tinha dito... então ta.. liguei ó pra me despedir'

    olha que horrrrrroorrrr

    ResponderExcluir
  38. nina, minha galganta tá doendo.

    hoje minha mãe disse assim 'neneeem' eu juro que se eu nao estivesse embrulhada no meu edredon e não gotasse um pouquinho dela eu chutava a véia

    ResponderExcluir
  39. gente, eu nao sou um assassina suicida, ok?

    ResponderExcluir
  40. eu só tenho problemas de saúde e de engolimento de letras.

    ResponderExcluir
  41. G3 foi ótima mesmo!
    haha

    Eu já disse que adorei a imagem?

    ResponderExcluir
  42. Sei não, mas parece que a pititinha tá me zoando!

    tchin tchin tchin

    Paulinhaaaaaaaa, te aguardamos.

    ResponderExcluir
  43. Quero um desdobramento da piada.
    Como assim G3????

    ResponderExcluir
  44. Ahhhhhhhh, a Laurinha me explicou: foi o resumo da Helô. Achei chique, seus bestas!!! rs

    ResponderExcluir

Sinta-se em casa. Sente-se conosco,tome um guaraná e comente o que você quiser e depois, aguente!!! hihihi