quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Merchan, a arte da conquista

Tema: merchan
Convidado: Vanderley


Em uma época distante, não datada, as mulheres, ou melhor, as fêmeas, eram escolhidas por suas características como reprodutoras: seios fartos, ancas largas e idade fértil. Os homens, nessa época designados como macho – por apresentar comportamento típico de animal –, não faziam quaisquer galanteios, tampouco tinham a docilidade de palavras gentis. A mulher era o objeto de desejo: a caça, e o homem o caçador, no sentido mais literal. Quando dois machos tinham interesse pela mesma fêmea estava pronta a luta pelo território e pelo titulo de macho alfa. O mais forte ganharia. E, assim, ficaria com a parideira.
Nessa época o merchan da parideira era seus dotes físicos, e do caçador, era uma paulada na cabeça da parideira: prova, e arma, de conquista.

Adquirindo certa civilidade, os conceitos mudaram. A jovem deveria saber coser, cozer e cuidar do marido e da casa, em suma, ser prendada, além, é claro, ser de boa família e pura, algo de estremo valor. Ao jovem era desejável ter bom nome, posses, boa família. Os jovens, não podiam sequer escolher seus destinos, sequer ter vontade própria. Pais e mães escolhiam com base no que julgavam ser melhor para seus filhos e em seus interesses, fossem pessoais: amizades e tratados feitos - antes mesmo dos filhos nascerem - ou financeiros.
Nessa época o merchan das jovens eram ter um belo dote, e do jovem, uma bela vida a ofertar.

Antigamente, não tão antigamente assim, as pessoas se conheciam na Igreja, na missa de domingo. Conversavam sempre com testemunhas. As moças deixavam, graciosamente, os lenços caírem, para os cavalheiros pegarem; uma cortesia e uma troca de gentileza. Na verdade nada mais era senão um sinal: estou de olho em você.
Nessa época o merchan da donzela era “desculpe-me, nem vi que meu lenço caiu. Obrigado, nobre cavalheiro”, e o do guapo era “não há de quê, minha nobre senhorita”.

Hoje, século XI, próximo ao fim do mundo, segundo os Maias , as pessoas mudaram sua forma de seduzir e conquistar. Hoje as pessoas seguem o padrão de conquista drive thru. Vão às festas olham, escolhem as vítimas, e sem nem ao menos saber o nome já estão entrelaçadas. Às vezes, com essa modernidade, a forma de conquista é ainda mais impessoal, sendo somente virtual. Para os adeptos dessa prática, propaganda é a alma do negócio. Você, na maioria dos casos, compra uma coca-cola e leva, quando muito, um suco de pozinho aguado. 

Hoje o merchan das pessoas é: “Estou à disposição. E ai, vai querer?”.

Por isso, me pergunto: quando chegará a época em que o amor reinará e todos terão direito ao amor pleno - sem amarras, sem preconceito, sem imposição, sem segunda intenção -, tão sonhado por Camões, Vinícius de Morais e tantos outros poetas? 
Vanderley

Uma linda quinta-feira para todos vocês, meus amores, pois nas quintas há sempre algo diferente no ar e hoje houve labirintite textual o dia todo e, inteligente que sou, pedi socorro ao Limão e só ganhei com isso. Ganhamos.  

23 comentários:

  1. Oba... Mais um vez tô aqui...

    Isso é bom de mais, já até me acostumei. Me acostumo fácil com que é bom

    ResponderExcluir
  2. pois nas quintas há sempre algo diferente no ar e hoje houve labirintite(não que desejo outra labirintite) mais gostei demais do texto do limão.

    ResponderExcluir
  3. obrigadoooooooooo... tb nao desejo, mas quero continuar sendo convidado.

    ResponderExcluir
  4. Agora entendi pq do nada o limão me perguntou o que era drive-thru.

    ResponderExcluir
  5. O texto é utópico, porém é verídico, dado o fato que eu não acredito que existam amores iguais aos sonhados pelos poetas.

    ResponderExcluir
  6. Boa abordagem e boa ideia. Ótima ideia, aliás.

    ResponderExcluir
  7. Pronto, Limão nos marcadores.
    Depois eu volto... ai ai ai

    ResponderExcluir
  8. Adorei a abordagem do Limão. Precisava falar isso.

    ResponderExcluir
  9. nossa gente obrigado, como eu ja disse para a Rosana, eu sempre fui apontado por escrever mal e ruim. Agora, com dedicaçao, ganhar esses elogios e muito bom. Sou grato de mais a Rosana pela confiança em me convidar e ao taffarel por me incentivar e me ensinar muitas coisa.. obrigado...

    ResponderExcluir
  10. Eu acredito no amor utópico dos poetas e acredito que estou vivendo. E, que seja eterno enquanto dure, e que dure para sempre, e além. Te amo Taffa...

    ResponderExcluir
  11. Sabe o quê, Limão...eu também acredito no amor dos poetas. Conheço quem professe(?) e viva um amor assim.

    Nem vou falar muito porque o Taffa falou tudo.
    Mas que tá legal, muito, ler o Limão por aqui, isso tá.

    (?)Tá certo escrever assim? A palavra é com C e o verbo é com 2S Gente!!! Não tenho dicionário aqui!!! Sofro.

    Helô

    ResponderExcluir
  12. Helô

    Professe: 3ª pess. sing. imp. de professar
    3ª pess. sing. pres. subj. de professar
    1ª pess. sing. pres. subj. de professar

    Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um duplo clique. Experimente!

    professar - Conjugar
    v. tr.
    1. Seguir, fazer uso público de.
    2. Exercer, praticar.
    3. Ensinar.
    4. Dedicar.
    v. intr.
    5. Ensinar, ser professor.
    6. Fazer votos religiosos, tomar o hábito, tomar o véu.

    Aproveitando que a semana e de merchan, vou fazer o meu.Eu adoro esse dicionário, e on line e gratuito: http://www.priberam.pt/dlpo/

    ResponderExcluir
  13. gente, desconsidere o "Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um duplo clique. Experimente!", isso faz parte do ctrl+c e ctrl+V da vida.

    ResponderExcluir
  14. Limão, você acredita que eu só aprendi isso aqui no meu Houaiss, este ano???
    Foi como ganhar o céu. Mas aprenderia hoje com você.

    Limão é o homem das dicas... rs

    ResponderExcluir
  15. Gracias pela dica Limão. Valeu!!!

    ResponderExcluir
  16. Me pergunto sempre
    quando?
    ...
    já estou quase desistindo ..

    amei o post .. :)

    ResponderExcluir
  17. Assim, igualzinho igualzinho ao amor dos poetas eu não sei se acredito, não... Mas eu tento! rs

    ResponderExcluir
  18. poesia e romantismo a gente vê por aqui.

    ResponderExcluir
  19. eu queria ser da época do lencinho caído

    ResponderExcluir

Sinta-se em casa. Sente-se conosco,tome um guaraná e comente o que você quiser e depois, aguente!!! hihihi