terça-feira, 17 de março de 2009

A casa sempre cheia.

Acordo com os gritos de Dona Benta: Pedrinho, Narizinho e Emília devem ter aprontado outra vez! Sinto o cheirinho do café e dos bolinhos de polvilho que só Tia Nastácia sabe fazer. Se não levantar logo, o Saci comerá todos.

Essa casa é apertada demais pra tanta gente, fica sempre bagunçada. Ainda mais que Lúcia não para de fuçar nas prateleiras, querendo descobrir qual delas é mágica e vai levá-la de novo até Nárnia, para ver o Sr. Tumnus e Aslam. Mal sabe ela que a passagem é embaixo da minha cama.

No almoço, cada dia tem um prato diferente. As cozinheiras se revezam em seu trabalho culinário, cada uma seguindo seu Livro de Receitas preferido. Algumas seguem receitas de diversas partes do mundo, uma delícia!

Eu passo minhas tardes viajando, daqui de dentro de casa mesmo. Outro dia dei a mão pra Lily, a chilenita adorada de Ricardo Somorcucio e protagonista das Travessuras da Menina Má, e fomos pra Lima, Paris, Madri... Até pro Japão.

Nem se precisar dar um recado pra algum amigo eu saio! Mando o Pequeno Príncipe no meu lugar: ninguém melhor que ele para dar recados aos meus melhores amigos. Mas só para os mui amigos! Se o assunto for trabalho, pagamentos, mando algum dos doutores em finanças e administração que ficam numa sala no fundo da casa. Quase não apareço ali.

Às vezes, em dias chuvosos, quando rola uma certa melancolia, eu chamo a Clarice. Ah, a Dona Lispector é quase que uma psicóloga particular.
Mas se for traição, infidelidade, aí procuro o Dom Casmurro, mesmo que ele só faça aumentar minhas dúvidas.

Quando o Gu vem me visitar, chamo a Cecília Meirelles pra me ajudar. São tantos bichos falantes, cavalos coloridos, reis, rainhas e princesas querendo falar antes que o outro que me perco! Só a Cecília mesmo pra me ajudar a escolher isto ou aquilo.

Cinco da tarde é hora de tomar chá com a Alice, o Chapeleiro Maluco e a Lebre de Março.

Depois, fico falando das coisas simples desta vida besta com Drummond. Ele que me viu tantas vezes brincar com a sopa de letrinhas, um tanto sentimental. Puxo papo com Leminski também, mas logo me irritam seus haikais e suas construções, de tão perfeitos.

Vai ficando tarde. A casa começa a ficar vazia. Enquanto todos dormem seria o momento exato para um filminho pornô ou uma revista de conteúdo adulto. Tenho um companheiro perfeito para as minhas aventuras noturnas tórridas: o anjo pornográfico, Nelson Rodrigues com suas histórias excitantes, indecentes, rasgadas para que nenhuma hipocrisia se aproxime.

Depois de jogar muita conversa fora, acabo cochilando.
A luz fica mais uma noite acesa e o Nelson tomba de lado, com a roupa toda amarrotada.
Durmo sem sequer imaginar quem vai aparecer aqui em casa amanhã.
Certo apenas de que o dia vai ser cheio e vou ter que espantar mais alguns penetras da minha livraria que querem negociar meus livros.

Só vendo os repetidos, já disse!

Rafa

13 comentários:

  1. Fala se não é de dar raiva do Leminski:

    nunca quis ser freguês distinto
    pedindo isso e aquilo
    vinho tinto
    vinho tinto
    obrigado
    hasta la vista

    queria entrar
    com os dois pés
    no peito dos porteiros
    dizendo pro espelho
    - cala a boca
    e pro relógio
    abaixo os ponteiros


    Desculpem a demora!
    beeeeijo!

    ResponderExcluir
  2. puuuuuuuuuuta merda. [mals ae]


    que delícia de lugar pra morar, de companhias, de texto, de informação num só post.
    amei.

    ResponderExcluir
  3. Geeenteee

    Viram o que a Laura disse?

    uurrrrrull
    Ganhei o dia!
    =]

    ResponderExcluir
  4. Rafael Freitas, onde já se viu escrever um texto tão maravilhoso delicioso assim?
    Per-fei-to! Ma-rá!!!

    Posso ler Nelson Rodrigues também? Amo!

    Desaforo um post desse viu rs.

    Amoamoamo.

    ResponderExcluir
  5. Tudo bem, querer morar numa livraria, até eu... eu quero.Seria o meu lugar. Mas não saberia morar tão bem assim.

    Fiquei de birra!!!

    ResponderExcluir
  6. Laurinha foi me chamar pra eu voltar ao trabalho e eu perguntei: o Rafa postou: Ela:sim. E foi bom? outra pergunta.
    Nó, lindo demais - ela disse!!
    Eu: e você falou pra ele que achou lindo?
    Ela: tentei!! puuuuuuuuuuta merda. [mals ae]





    hahaha
    AdoUro!!!!

    ResponderExcluir
  7. Faço minhas as palavras da Laurinha. Tem maneira melhor de expressar o que se sente lendo um texto desses?

    ResponderExcluir
  8. Pessoas!!!! O Rafa e a Laurinha estão apostando pra ver quem escreve melhor! Algum palpite?

    ResponderExcluir
  9. A semana começou bem com a Jéss. Hoje Rafito arrasou. Quarta-feira, chega logo! E quinta, UI! E sexta, dá-lhe Laurinha!
    Tô só esperando.

    ResponderExcluir
  10. Milee!

    Claro que vc pode conversar com o Nelson também.
    Só tome cuidado pra ele não saber da sua fama de... hum... desvairada, que é pra vc não virar personagem dele!
    rs

    ResponderExcluir
  11. Mainha!

    Não se esqueça que essa livraria onde vou morar é a nossa sociedade futura!

    E adorei o diálogo com a Laura.

    Esse post tá fazendo um bem pro meu ego.
    hehe

    ResponderExcluir
  12. Helôooooo
    Bom que gostou!
    (E nem tenho pretensões de chegar perto dos textos da Laura. Já é minha redatora publicitária preferida!)

    ResponderExcluir
  13. Ninada, a menina envergonhada18 de março de 2009 10:28

    Bom-dia moçada ..
    infelizmente, saí da lan ontem sem ler o texto do meu irmão (que fique bem claro, que ele ainda não havia postado).
    Venho postar e dou de cara com esse texto mais lindo do mundo. Sei não .. mas esses meus dias corridos estão me deixando envergonhada. Não tenho mais criatividade. Isso meu deixa tlisti tchin tchin tchin (deu saudade da Paulinha agora) .

    .. beijocas gente .. vou postar ..
    daqui a pouco saio pra trabalhar ..

    ResponderExcluir

Sinta-se em casa. Sente-se conosco,tome um guaraná e comente o que você quiser e depois, aguente!!! hihihi