quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

De gentes e suas gentes

Tema: distração
Por: Rosana Tibúrcio

Minha maior distração é saber das gentes que gosto - ou não - e suas gentes. Que sejam gentes reais, pessoas à minha volta ou sejam gentes famosas, apenas.

Das reais gosto demasiadamente de ouvir pais falando das diferenças existentes nos comportamentos dos filhos. Não tenho interesse em "fofocas", digamos assim, gosto de saber dos jeitos de agir, de como lidam com afetos, com trabalho ou estudo e mesmo como lidam com o núcleo familiar.

Além de ouvir os pais sobre os filhos ou mesmo de ouvir os filhos sobre os pais eu gosto de observar. Não me perguntem a roupa que estão usando, não saberei dizer; mas saberei contar sobre tensões, alegrias, irritações ou quaisquer outros sentimentos/comportamentos que observei. Talvez por isso que goste tanto de BBB e de biografias.

Na internet essa minha distração gira em torno da Wikipédia, a princípio; posteriormente posso chegar a outros sites mais bem construídos.

A coisa começa assim: penso em Elis Regina, por exemplo, vou lá na Wikipédia e busco o nome dela, aí clico no nome dos filhos, dos ex-maridos, das pessoas mais influentes de sua carreira e começo a ler sobre eles; e em cada um deles vou clicando em outros nomes... e assim passo horas e horas sem nem perceber. É claro que não paro por aí, clico nas entrevistas de Elis, em alguns vídeos e só Deus para tomar conta.

Nessa minha melhor distração, real ou virtual, eu me concentro sem perceber e fico muito feliz. Como já disse tantas vezes aqui e em vários lugares: felicidade para mim é concentração. Recomendo.


Uma linda quinta-feira para todos vocês, minhas gentes, pois nas quintas há sempre algo diferente no ar e hoje haverá distração porque, certamente, vou observar mais tarde* as gentes nas salas de espera de um lugar onde estarei. 


*habitualmente faço meu post bem antes da hora em que ele é publicado.

8 comentários:

  1. Algum comportamento estranho nas salas de espera que merece ser partilhado???
    rs

    ResponderExcluir
  2. "como lidam com o núcleo familiar"

    Ela tava achando que era texto acadêmico, gente!
    haha

    ResponderExcluir
  3. Só uma moça arrumando o sutiã sem parar, não tava interessante e a vontade que me deu foi de ir lá dar um soco na cara dela.

    Mas... serenidade, Rosana, serenidade.

    ResponderExcluir
  4. Filhote aceito a zoeira do babado acadêmico, mas olha, procurei uma palavra ou expressão e não encontrei, credita??

    Affe..

    ResponderExcluir
  5. Te amo também, Filhote e sem banalização

    ResponderExcluir
  6. gosdisso também.
    ouvir sobre um filme e ler sobre e depois ator e depois imagens e depois filho do siclano.

    duas horas depois sei de mais nada que vi, mas foi otimo

    ResponderExcluir
  7. rosaninha tinha que ser psicóloga né?
    JÁ FALAMOS

    ResponderExcluir

Sinta-se em casa. Sente-se conosco,tome um guaraná e comente o que você quiser e depois, aguente!!! hihihi