quinta-feira, 28 de março de 2013

Dos jogos de amor...


Tema: uma letra por frase
Por: Rosana Tibúrcio


Às vezes, no meio da tarde, eu me recordo a menina que fui um dia. Bonecas, petecas, piões... e, também, bolinhas de gude, por que não? Cabe à menina decidir desde pequena com o quê quer brincar. Dominós, pega-varetas, iôiô... eu escolhia o que me permitisse vencer. Escolhia a dedo os jogos e os companheiros para não perder sempre. Fazia dessas escolhas motivos para me destacar, quiçá ser a escolhida também...

Graça nenhuma havia em perder para aqueles meninos, ahhh os meninos... Hominhos já se achando adultos dominadores nos jogos. Inquietos, traiçoeiros, machões, agressivos e insanos.

Jamais acreditei encontrar um menino ou homem sem uma dessas “qualidades”. Kant, o filósofo, diria que eu, ainda menina, não tinha experiência para essa crença. Ledo engano... pois a vida me provou, mais tarde, que eu sabia quase tudo deles.

Muitos jovens – tempos depois – mentirosos e rebeldes cruzaram meu caminho. Nunca houve um que fosse predominantemente bom, belo, sábio ou rico. Olha que procurei bastante, vasculhei entre colegas e amigos de colegas.

Paqueras, namoros, flertes, transas... foi assim que eu, bem jovem, comecei outros jogos. Querendo ganhar carícias, presentes, músicas, braços, corações só meus e bem mais... Risadas soltas, olhares profundos, toques lascivos, silêncio afetuoso...

Saudade do meu tempo de jovem... eu me recordo jovem à noitinha... Tantos foram os homens jovens e igualmente maus que encontrei na arte de jogar. Ufanos bem mais que os hominhos meninos; bem menos que os maduros... ah os homens maduros.

Voyeur, na maturidade e, nas madrugadas, eu me recordo adulta: “Arder, no poro, no pelo, na pele” Xeque-mate foi o que me restou... sem possibilidade de fuga. Yes, , oui, ja, aquele sim do adeus, do fim de jogo, em todas as línguas... ahh aquela língua... Zarpando ferina e traiçoeira no último jogo do amor...


Uma linda quinta-feira para todos vocês, meus amores, pois nas quintas há sempre algo diferente no ar e hoje há um quê de insanidade rondando... rondando... 

27 comentários:

  1. Nossa Tia Rosana, você tá muito indecente. Sexo nos marcadores não é uma coisa de família.
    Ou você acha que eu não entendi nada do que escreveu aqui?
    Sou boba não, Tia.
    Aninha

    ResponderExcluir
  2. Aproveitando que a Tia foi ao banheiro e deixando recadinho aqui. Tadinha dela, tá gagá..

    Aninha.

    ResponderExcluir
  3. Eu tentando ser séria é muito engraçado, né minhas gentes?

    ResponderExcluir
  4. Kant, o filósofo, diria que eu, ainda menina, não tinha experiência para essa crença.

    Isso ficou lindo. Lindo mesmo. O post todo, aliás.

    ResponderExcluir
  5. "aquela língua...
    Zarpando ferina e traiçoeira no último jogo do amor..."

    Olha isso!

    ResponderExcluir
  6. 'Ledo engado' é praticamente sua assinatura, né mainha?
    E eu adoro.

    ResponderExcluir
  7. a passagem de tempo deste texto ficou digna de novela das oito do manuel carlos

    ResponderExcluir
  8. "aquela língua...
    Zarpando ferina e traiçoeira no último jogo do amor..."

    rolou uma identificação
    aqui

    ResponderExcluir
  9. Oi meninosss lindos. Obrigada por me apoiarem.

    Mas algo nesse texto tá estranho, travado. Parece que é a formatação. Vou arrumar isso agora. Tá estilo texto do carpinejar (falo do lado mais negativo dos textos dele: os pulos sem coesão e não do que ele escreve de interessante, bom explicar).

    ResponderExcluir
  10. Hummm, parece que agora ficou melhor. Sem os pulinhos.


    ResponderExcluir
  11. Quase criei uma outra "eu" mais adulta e série. Uma Rosa, talvez...

    Imaginem a Rosa fazendo textos mais estilo sensual/feminino/mulherzinha??


    Porque gente, euzinha mesmo não consigo.

    ResponderExcluir
  12. E querem saber? Adorei meu post.

    Parabéns pra mim: clap clap clap...

    ResponderExcluir
  13. As duas viadinhas das minhas filhas não compareceram, né? Laurinha tá viajada para São Paulo. Marina pra Três Marias.

    Marina sem micro, pode ser que não poste de novo, minhas gentes.

    ResponderExcluir
  14. Zarpando a língua tá bem estilo 50 tons de cinza, né não?? Só agora percebi esse trem... hahahahahahah

    ResponderExcluir
  15. não era você que teria superrrr dificuldade desse tema?
    PASSOU NO TESTE

    ResponderExcluir
  16. transas..

    tomara que essa história seja ficção. minha mãe, afinal

    ResponderExcluir
  17. " olhares profundos, toques lascivos, silêncio afetuoso..."

    texto do limão, acho

    ResponderExcluir
  18. acho = rosana deve ter roubado dele

    ResponderExcluir
  19. hahahah rindo muito do seu comentário, aninha. gostei do que disse. eu diria igual. obrigada.

    ResponderExcluir
  20. Nunca que roubei texto do limão. Lascivo é coisa do Rafa, inclusive. Mas conheço a "lascividade" antes dele nascer.

    ResponderExcluir
  21. Passei no teste rosanaseriaala50tonsdecinza.
    Só faltaram o chicote e o dinheiro do Christian Grey.

    ResponderExcluir
  22. A Aninha é abelhuda demais... Ela teve que aparecer, né? Senão ficava tudo muito sério.

    ResponderExcluir
  23. Sim, eu tenho dificuldade de tema assim.

    Enfim, passei no teste.

    ResponderExcluir

Sinta-se em casa. Sente-se conosco,tome um guaraná e comente o que você quiser e depois, aguente!!! hihihi