terça-feira, 28 de setembro de 2010

Nem tudo são rosas

Tema: Ossos do ofício
Por:
Rafael Freitas

O padre não pode se casar.
A modelo não pode comer brigadeiro.
A cozinheira não pode errar a mão no sal. Nem no açúcar.
A costureira não pode dar ponto sem nó.
O psicólogo não pode dar uma de louco.
O soldado chora, mas a mãe não vê.
O vendedor vende, mas nem sempre pode comprar.
O mecânico vai ter sempre as mãos sujas de graxa.
O publicitário vai ter sempre a concorrência desleal.
O eletricista vai ter sempre o risco de levar um choque.
O contador vai ser sempre incompreendido por ter escolhido uma profissão tão chata.
Os ladrões têm a polícia.
Os famosos têm as revistas de fofoca.
Os pedreiros têm os palpites da dona da casa.
Os palhaços não podem ter tristeza.
Os garçons não podem derrubar nada na mesa.
Os românticos têm saudade.
Os blogueiros têm crise de criatividade.



22 comentários:

  1. Os comentárista tem que comentar!

    ResponderExcluir
  2. Muito bom, Rafa!
    Crise de criatividade passa longe...bem longe do Guaraná.

    ResponderExcluir
  3. Caxangá
    Elis Regina
    Composição: Milton Nascimento e Fernando Brant


    Sempre no coração
    Haja o que houver
    A fome de um dia poder moder a carne dessa mulher
    Veja bem meu patrão como pode ser bom
    Você trabalharia no sol e eu tomando banho de mar

    Luto para viver
    Vivo para morrer
    Enquanto minha morte não vem
    Eu vivo de brigar contra o rei

    Em volta do fogo todo mundo abrindo o jogo
    Conta o que tem pra contar
    Casos e desejos coisas dessa vida e da outra
    Mas nada de assustar
    Quem não é sincero sai da brincadeira correndo pois pode se queimar
    Queimar...

    Saio do trabalho, ê
    Volto para casa, ê
    Não lembro de canseira maior
    Em tudo é o mesmo suor

    ResponderExcluir
  4. E vamo que vamo na correria, não é mesmo minha gente???

    ResponderExcluir
  5. E o Rafa tem sempre que esnobar a gente que não tem tempo. Tá ele não tem, mas é criativo

    ResponderExcluir
  6. Não entendi Os ladrões têm a polícia ... ai, desenha?

    ResponderExcluir
  7. Acrescento, porque vai enriquecer seu texto: os orientadores acadêmicos, não oficiais, têm quase sempre pelo caminho um ou outro orientando preguiçoso, protelador e, às vezes, um orientador oficial burro que nem porta,

    Tenho dito. Bom-dia, amores e tchau.

    ResponderExcluir
  8. No intervalo de um comentário e outro e estava, ao telefone, com um orientando bacana. Existem os bacanas.

    Tá, o post não é meu, mas a casa é minha e eu sou mãe do Rafa... hahahuahauhauaha

    ResponderExcluir
  9. Posso pedir pra não falar em dentistas?

    #trauma
    HAHAHAHA

    ResponderExcluir
  10. ó.. é assim..

    eu tenho que falar!!!

    O post ficou otemo

    ResponderExcluir
  11. meu pai é contador eu devo ligar para ele e contar que o rafa falou que ele é chato????


    Ligarei!!!

    ResponderExcluir
  12. pq não falou de nós professores????


    Rafa não gosta mais de mim


    estou com o taffa .. dentistas são bobos e feios....

    ResponderExcluir
  13. Rosana eu entendi dos ladrões.
    hahahahah

    eu que nunca entendo piada nenhuma!!!

    ResponderExcluir
  14. Nãããoooo!
    Não liga pro seu pai não, Paula!
    Por favor!

    Ele não é chato. A profissão dele é que é!

    ResponderExcluir
  15. E eu até pensei em falar dos professores, sabe.

    Mas ia ficar muito clichê falar que o salário é ruim, não ia?

    ResponderExcluir
  16. Cês viram que a pessoa postante me ignorou total, né? Mas juro, não havia entendido isso de ladrão. Desde quando ladrão tem ofício?
    Faça-me o favor.

    Rosana sai batendo a porta!

    ResponderExcluir
  17. Mainha, perdoa!

    Mas a intenção era exatamente essa: sacanear com o "ofício" do ladrão!

    ResponderExcluir

Sinta-se em casa. Sente-se conosco,tome um guaraná e comente o que você quiser e depois, aguente!!! hihihi