terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

Vou dar a volta no mundo, eu vou*

Tema: Passagens compradas
Por Rafael Freitas

Uma das coisas que peço, quando rezo, é que eu não morra sem que meus olhos tenham visto certas coisas em certos lugares. Não, não, fotos não servem: quero estar lá, caminhar, tocar, sentir os cheiros e os sabores. Ver com os cinco sentidos.

Pode ser que eu comece por Paraty. Andaremos, as garotas deste blog e eu, por aquelas estreitas ruas de pedra, apreciando a arquitetura colonial, tirando fotos no tempo, deslumbrados de azul. Provavelmente nossa viagem será nos dias da FLIP, Festa Literária Internacional de Paraty, porque paixão pouca é bobagem.

Depois, um sonho antigo: Fernando de Noronha. Acredito que esse sonho tenha começado quando criança ou adolescente, quando vi na tevê (Globo Reporter? rs) alguém mergulhando em uma das piscinas naturais, cercado de peixes amarelos. Quero. E aquela vista dos Dois Irmãos e da Baía dos Porcos? Eu chego lá.

Das viagens internacionais, o sonho antigo é a Grécia: berço do teatro, da filosofia, da pedagogia e da política. Atenas, Santorini, Mykonos... Há algum tempo atrás, vendo fotos de um amigo que esteve lá, comentei do azul que não se sabe onde é céu e onde é mar. Se não acredita, dá um Google!

E vamos para Paris. Além de todo o contexto artístico, do Louvre e da típica selfie com a Torre Eiffel, quero conhecer os lugares onde foram gravadas as cenas do meu filme preferido: O fabuloso destino de Amélie Poulain. Tomar um café no Café des Le Deux Moulins, no bairro Montmartre, e jogar pedras no Canal Saint Martin. E já que estaria por ali mesmo, vamos ao Moulin Rouge (outro filme preferido, rs).

Último destino: Índia. A vontade de conhecer esse país surgiu em 2007, quando pesquisava sobre o Taj-Mahal. Que coisa linda, gente. Não é à toa que foi considerado uma das Sete Maravilhas do Mundo Moderno. A cultura indiana também me atrai: as cores, as roupas, a religiosidade. Mas, como já sabemos, também rola muita pobreza... No final do ano passado, tive o prazer de conhecer um fotógrafo indiano, DennyDaniel, que mora no Nepal mas estava visitando a avó da sua esposa, e batemos um papo. Enchi o cara de perguntas, claro. Qualquer dia lhe farei uma visita.

Difícil selecionar apenas cinco lugares desse mundão de meu Deus, não é mesmo? Ainda mais morando num país de tantas belezas, tanto nordeste, tantas cidades históricas mineiras. E o Sul. O SUL DEVE SER LINDO! E CAVERNAS! AQUELAS DE ÁGUAS CRISTALINAS E RAIOS DE SOL ENTRANDO PElAS CAVIDADES. E TRANCOSO? E MACHU PICCHU? E AMÉRICA LATINA INTEIRA?


Pois é. Oremos.


* Da canção Crença e fé, Daniela Mercury.


16 comentários:

  1. Eu qué Paraty para mim haha
    As referências todas, amo!
    Me leva na Grécia, filhote? Sem eu viajar, tipo tapete mágico? Obrigada. de nada!

    ResponderExcluir
  2. Fernando de Noronha, sou muito diferentona e não tenho vontade, mas sei que sou diferentona bobinha, porque dizem que a beleza de lá é algo assim: dos deuses!!

    ResponderExcluir
  3. zoológico, por exemplo, é o tipo de coisa que cê não precisa ver mesmo, foto e vídeo já serve.
    (apenas divagações pós primeiro parágrafo)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. verdade, eu não vejo graça nenhuma em zoológico. mas nenhuma meeeessmo. nem em foto de...

      Excluir
    2. Gente, não fala isso! Meu sonho é fazer carinho no pescoço de uma girafa! rs

      Excluir
    3. Pára! com acento, porque é tipo PÁRA mesmo!!!

      Excluir
  4. grécia acho as imagens muito maravilhosas, também.
    aquelas arquiteturas todas branquinhas contrastando com esse azul que não se sabe de onde

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não falei das casas branquinhas! Culpa do azul, mana. =]

      Excluir

Sinta-se em casa. Sente-se conosco,tome um guaraná e comente o que você quiser e depois, aguente!!! hihihi