terça-feira, 10 de junho de 2014

Rasgação de seda

Tema: Tecido
Por Rafael Freitas

Minha mãe é costureira e por isso sempre estive cercado de tecidos, moldes e revistas. Talvez venha daí minha paixão por eles, os tecidos.

Sou do tipo que para pra ver vitrines, que entra pra perguntar que tecido é aquele, quanto tem de largura, quanto custa, se tem de outra estampa. Se gostar muito, mando logo cortar um metro e meio que é o suficiente pra uma boa camisa. Muitas vezes o tecido pode ser pra minha mãe, ou pras cunhadas. Eu não resisto quando a estampa é muito bonita: já imagino a peça pronta e quem gostaria, com quem mais combinaria e tals.

Se bem que minha mãe não precisa de mais nenhum corte. Santo de casa não faz milagres, principalmente quando envolvem máquinas de costura. São muitos tecidos guardados, alguns com dez anos de existência, esperando  a oportunidade pra se transformarem em lindos casacos, calças ou camisas. E o estoque nunca vai ter fim, já que sempre tem um tecido novo que ela vai gostar. É um vício. Tá vendo: é de família!

Definitivamente os estampados são os meus preferidos. Principalmente os xadrezes. Desde adolescente eu já tinha essa fixação por essa estampa, vivia usando bermudões até a canela e até calças dessa estampa. O que não me impede de gostar dos listrados, florais, étnicos, manchados.

Sempre digo pra minha mãe que tem uma certa mágica nisso de ser costureira: transformar um pedaço de tecido em elogios, segurança e autoestima pra pessoa que vai usar aquela roupa. Um tanto viajado, meio frescura isso, dirão. Bem do meu jeito, né não? rs


Eu poderia falar mais um tanto, provando como gosto do assunto. Mencionar, por exemplo, como todo mundo me pede ajuda pra comprar e escolher tecidos e como tenho prazer em fazer isto. Pra se ter uma ideia, tenho uma conta no meu nome numa loja de tecidos daqui, Tecidos Confiança, desde os catorze anos. Antes comprava na conta da minha mãe. E isso é só pra fazermos as contas: estamos falando de dezesseis, dezessete anos, minha gente. A tal paixão já virou amor.



17 comentários:

  1. Como é bom falar do que a gente gosta, né não???

    ResponderExcluir
  2. Esse foi pra fazer jus ao perfil antigo: "mestre em vírgulas e tecidos"!

    ResponderExcluir
  3. E esse título, gente! Não ficou ótimo???

    ResponderExcluir
  4. E esse título, gente! Não ficou ótimo???

    ResponderExcluir
  5. Estou indo dormir sem ler o post, mas li os comentários e olha hahahah


    "E esse título, gente! Não ficou ótimo???"


    EU NÃO LI ISSO!!

    ResponderExcluir
  6. achei fofo, rafa.
    pena que as vezes você escolhe umas blusas estranhas né?
    mas oh: <3

    ResponderExcluir
  7. beijo pra mãe e pro hábito de guardar coisas para serem usadas que nunca serão

    ResponderExcluir
  8. ridiculo sem coment sobre o título, mas ok, ficou sim

    ResponderExcluir
  9. Sempre gostei de comprar tecidos, também, e ganhava muitos quando criança.

    O problema de comprar tecido, não é o tecido, é a costureira... porque owww bichim enrolado.


    Desculpaêê, Dona Edna, mãe original do Filhote, todas são enroladas, menos você...


    hihihih

    Tá, eu minto

    ResponderExcluir
  10. Filhote, o dia que eu ficar ryca, vem pra cá pra comprar uns tecidos para mim e a gente arrumar uma costureira para fazer todas as roupas do mundo?

    Grata!!

    ResponderExcluir
  11. Filhote, o dia que eu ficar ryca, vem pra cá pra comprar uns tecidos para mim e a gente arrumar uma costureira para fazer todas as roupas do mundo?

    Grata!!

    ResponderExcluir
  12. Mainha, super vamos comprar muitos tecidos qdo a sra ficar ryyycaaa!

    Superado o fator financeiro, o problema vai ser achar costureira, né???

    ResponderExcluir
  13. Adorei a lembrança da minha blusa estranha! haha
    O pior é que eu gosto tanto dela, gente!

    ResponderExcluir

Sinta-se em casa. Sente-se conosco,tome um guaraná e comente o que você quiser e depois, aguente!!! hihihi